Diretor da Saúde pediu aumento no preço da vacina para esconder propina, diz Dominguetti

Em depoimento à CPI da Covid, Dominguetti disse que diretor do Minsitério da Saúde falou sobre a necessidade de “melhorar o valor” da AstraZeneca para esconder a propina

Redação Publicado em 01/07/2021, às 14h01

None
Dose de vacina AstraZeneca (Foto: Gareth Fuller - WPA Pool / Getty Images)

Em depoimento à CPI(Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid nesta quinta, 1º de julho, Luiz Dominguetti afirmou que o diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias pediu para aumentar o preço das doses da vacina AstraZeneca para esconder propina.

Conforme noticiado pelo G1, Dominguetti afirma ser representante da empresa Davati Medical Supply, que teria feito uma oferta de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca. Em depoimento à CPI da Covid, Dominguetti narrou como teria sido a reunião ente ele e Roberto Ferreira Dias, diretor de logística do Ministério da Saúde.

+++LEIA MAIS: Governo Bolsonaro pediu propina de 1 dólar por dose de vacina, diz vendedor

"A conversa começou assim: nós temos que melhorar esse valor. É para cima, é para mais. Aí se pediu acréscimo de um dólar por dose. Eu, de imediato, disse que não tinha como fazer," disse.

O representante da Davati continuou: "O clima da mesa mudou, logo se encerrou o jantar e no final ‘pensa direitinho que amanha eu vou te chamar no ministério com uma nova proposta’, dando a entender que essa nova proposta teria que ser acima do valor. Só que no outro dia eu levei a proposta dos 3,50."

+++LEIA MAIS: ‘Não tenho como saber o que acontece nos ministérios’, diz Bolsonaro

Dominguetti foi convocado para depor após entrevista dada à Folha na terça, 29 de junho. Apesar da declaração do representante da Davati, que é também policial militar de Minas Gerais, a AstraZeneca afirma não ter intermediários no Brasil para realizar a negociação do imunizante.


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL