Diretor de Nós que nos Amávamos Tanto, Ettore Scola morre aos 84 anos

Scola dirigiu atores como Sophia Loren e Marcello Mastroianni

Redação Publicado em 19/01/2016, às 21h01 - Atualizado às 21h56

Ettore Scola na première de Ridendo e Scherzando no Festival de Cinema de Roma, em 18 de outubro de 2015
Rex Features/AP

Diretor da comédia Nós que nos Amávamos Tanto, Ettore Scola morreu nesta terça-feira, 19, aos 84 anos. De acordo com a agência de notícias Ansa, o italiano estava internado em estado grave na ala de cardiologia do hospital Policlino, em Roma.

Em entrevista ao jornal Repubblica, o primeiro-ministro Matteo Renzi expressou pesar lembrando a militância política do diretor, que lançou produções criticando o fascismo italiano. "Um mestre de habilidade incrível para ler as mudanças da Itália e com uma consciência social do país" comentou.

Vencedor três vezes do Prêmio César, entre eles na categoria Melhor Filme por O Baile, Scola também foi premiado em Cannes com Melhor Roteiro (O Terraço) e Melhor Diretor (Feios, Sujos e Malvados). Ganhou um Urso de Prata em Berlim, além de já ter sido indicado quatro vezes ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Também dirigiu atores como Sophia Loren, Marcello Mastroianni e Gérard Depardieu.

Casado com a escritora Gigliola Scola, teve duas filhas, Paola e Silvia. Acompanhado da família, recebeu homenagem no Festival de Cinema de Roma de 2015. Sempre brincalhão, disse na ocasião que "o cinema é um trabalho árduo, mas você pode enviar algumas mensagens rindo e brincando. Os filmes são holofotes que iluminam a vida."

Formado em direito e jornalismo, Ettore começou a carreira de diretor com Falemos de Mulheres (1964). Homenagem a Fellini, Que Estranho Chamar-se Frederico (2013) foi o último filme que comandou.