Diretor de X-Men é acusado de ter abusado sexualmente de menor de idade em 1999

Defesa de Bryan Singer diz que alegações são “absurdas e difamatórias”

Redação Publicado em 17/04/2014, às 11h57 - Atualizado em 18/04/2014, às 14h52

Bryan Singer
AP

Atualizado às 20h

Prestes a trazer mais filme aos cinemas, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, Bryan Singer precisará enfrentar a acusação de ter abusado sexualmente de Michael Egan em 1999, quando este tinha 17 anos. A ação foi movida nesta quarta-feira, 16, em um tribunal federal do Havaí, nos Estados Unidos.

Galeria: os dez piores filmes de super-heróis da última década.

O lado acusador diz que Singer atraiu Egan para a mansão dele pela primeira vez quando tinha 14 ou 15 anos com a promessa de um papel em um dos seus filmes. Lá, o diretor teria induzido o jovem a consumir cocaína, bebidas alcoólicas e um comprimido.

Em outra ocasião, o jovem já com 17 anos, afirma ter sido forçado a fazer sexo oral no diretor dentro de uma piscina e sexo anal enquanto estava dopado.

A defesa de Singer diz que as acusações são “absurdas e difamatórias” e que Egan está se aproveitando do bom momento vivido pelo diretor na carreira, com o novo filme dos mutantes dos quadrinhos prestes a estrear, em maio deste ano. “É óbvio que este caso foi uma tentativa de obter publicidade em um momento oportuno”, disse o advogado.

Segundo o site Buzzfeed, o canal ABC vai reeditar as propagandas da série Black Box eliminando qualquer menção a Singer, produtor executivo do programa. O advogado de Egan, Jeff Herman, ainda afirmou ter recebido mais de uma denúncia de estupros sofridos por "crianças de Hollywood", avisando que, até a semana que vem, pelo menos mais três processos serão abertos.