Diretor de O Silêncio dos Inocentes assume que não queria Jodie Foster no elenco do filme

À época, Jonathan Demme acreditava que nomes como Michelle Pfeiffer, Meg Ryan ou Laura Dern seriam perfeitos para o papel

Redação Publicado em 03/04/2015, às 15h04 - Atualizado às 18h24

Jodie Foster, que recebeu a homenage Cecil B. DeMille, por toda sua carreira, fez o discurso mais emocionante da noite
AP

Jonathan Demme, diretor do filme O Silêncio dos Inocentes, admitiu que não queria ter a atriz Jodie Foster, que viveu a personagem Clarice Starling, no elenco da produção. Em entrevista recente, ele assumiu que pediu nomes como Michelle Pfeiffer, Meg Ryan e Laura Dern para o papel.

Galeria: dez pôsteres de filmes transformados em gifs.

O comentário foi feito no fim do ano passado, em uma conversa com o também diretor Paul Thomas Anderson, no Austin Film Festival, que foi disponibilizada na internet recentemente e resgatada pelo site da revista britânica NME.

Demme declarou que foi extremamente relutante com a escolha. “Você sabe, não acho que Jodie Foster seria boa no papel. Ela é uma pessoa da Califórnia... Não acreditava no sotaque de Boston dela”, comentou. “Eu a vi ‘atuando’ por aí [no filmeAcusados, de 1988] e não fiquei impressionado.”

Jodie – que ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 1992, pelo papel em O Silêncio dos Inocentes – mostrou-se interessada em interpretar a personagem e passou a ser a preferida pelos produtores, que apostavam no primeiro Oscar ganhado por ela, em Acusados (longa que não impressionou Demme).

Galeria: dez atores que ficaram marcados por um personagem.

“Veja o que aconteceu!”, acrescentou o cineasta. “Apaixonei-me perdidamente por ela. Dei o nome da nossa companhia de produção – Strong Heart Productions – em homenagem à sensibilidade da personagem dela.”

A escolha de Demme não foi boa apenas para Jodie, mas também para ele mesmo, que levou o Oscar de Melhor Diretor por O Silêncio dos Inocentes. O filme ainda ganhou outras três estatuetas, entre elas a de Melhor Ator, para Anthony Hopkins, Melhor Roteiro Adaptado, para Ted Tally e Melhor Fotografia.