Discografia de Arnaldo Baptista é relançada em streaming com dois discos inéditos

Elo Mais Que Perdido (1977) e Shining Alone (1981) estão entre os lançamentos exclusivos do aplicativo criado pelo sistema de música por assinatura Deezer

Redação Publicado em 01/12/2013, às 15h33

Arnaldo Baptista - 1978
Grace Lagoa / Divulgação / Deezer

Toda discografia solo de Arnaldo Baptista, ex-Os Mutantes, foi reeditada e relançada em formato digital por meio do serviço de música em streaming Deezer. O catálogo, que já estava fora de circulação, ganhou novas artes de capa, remasterizações pela Classic Master e comentários de músicos inspirados pela obra do artista paulistano.

Entrevista: Baby do Brasil exalta a espiritualidade, mas se descreve como “mais louca do que nunca”.

O relançamento, que ganhou um aplicativo dentro do próprio Deezer, vem ainda com dois trabalhos inéditos de Arnaldo: o ao vivo Shining Alone, bela gravação de uma apresentação realizada por ele em 1981, no Teatro TUCA, em São Paulo; e Elo Mais Que Perdido, o resultado da compilação de gravações ditas perdidas, registras em uma fita cassete e recuperadas por Oswaldo Gennari, antigo baixista da Patrulha do Espaço - banda que o acompanhou entre os anos 1977 e 1978 (época da foto acima), logo depois que ele recusou o convide do irmão Sérgio Dias para voltar para Os Mutantes.

Cada um dos discos foi comentado por um músico. Tom Zé, por exemplo, relatou a primeira audição da estreia solo de Arnaldo, Loki?, de 1974. “Pra que eu fui ler o diabo da orientação que manda ouvir o disco a todo volume? O lingerie me afoga. Um disco desses! Quem disse que sou capaz de beber? Ouvir a todo volume? Até baixinho já me afoga, ai meu Deus!”, escreveu ele. “É só piano, bateria e voz? Parecia uma dúzia de assassinos. Música! Nunca mais. Nunca mais faço uma. Ainda bem que esse disco me pariu de novo.”

Também assinam os comentários Arnaldo Antunes (Singin' Alone, de 1982), Fernanda Takai (Let It Bed, 2004), Lobão (trilogia de discos com a Patrulha do Espaço, de 1977 e 1978), Lulina (Shining Alone, de 1981) e Fernando Catatau (Disco Voador: Paz, de 1987).

Abaixo, está o inédito Shining Alone, de 1981. Para acessar o aplicativo, clique aqui.