Discurso inflamado de Tico Santa Cruz é destaque da apresentação do Detonautas Roque Clube no Rock in Rio

Vocalista criticou José Sarney, a corrupção, a impunidade e os políticos; apresentação ainda teve cover de “Metamorfose Ambulante” (Raul Seixas) e homenagem ao Nirvana

Stella Rodrigues, do Rio de Janeiro Publicado em 02/10/2011, às 20h28 - Atualizado às 21h33

O Detonautas de Tico Santa Cruz foi a primeira banda nacional a se apresentar no Palco Mundo no último dia do Rock in Rio. A banda começou o show com "Mercador das Almas".

Ver Galeria
(3 imagens)

O Detonautas Roque Clube abriu os trabalhos do palco Mundo neste domingo, 2, último dia de Rock in Rio. O já tradicional discurso de Tico Santa Cruz, sempre crítico no que concerne a política, inflamou os ânimos do público.

“Existe corrupção no mundo inteiro, mas só no Brasil existe a impunidade do jeito que é. Um daqueles ‘pela-saco’ do Sarney disse que quem está no Rock in Rio é maconheiro. Pois eu prefiro um bando de maconheiro do que bandido de terno e gravata”, disse ele, se referindo ao deputado do Maranhão Magno Bacelar, aliado de José Sarney. O deputado saiu em defesa de Sarney depois que Dinho Ouro Preto, no show realizado pelo Capital Inicial no fim de semana passado, no Rock in Rio, fez críticas ao presidente do Senado. Na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, Bacelar afirmou que muitos dos frequentadores do festival estão “drogados, maconhados”. A reação da plateia à manifestação de Tico foi exatamente a mesma obtida por Dinho: um poderoso coro “anti-Sarney”, xingando o político.

Ao longo de pouco mais de 40 minutos de show, o Detonautas também relembrou algumas das músicas de maior sucesso da banda, como “Olhos Certos”, “O Dia Que Não Terminou” e “Quando o Sol Se For”. Porém, a maior reação da plateia foi quando Tico anunciou uma “homenagem ao mestre. Viva Raul Seixas!” e fez um cover de “Metamorfose Ambulante”.

Ao final do show, ainda houve tempo de relembrar os 20 anos do disco Nevermind, do Nirvana, com “Smells Like Teen Spirit”. Contudo, não se tratou de um cover, mas sim de um play que foi dado na música original e rapidamente cortado. Não teve problema, pois o público seguiu cantando a letra por mais um tempo, com direito a Tico puxando o coro de cima do palco.