Djonga é destaque no Jornal Nacional: ‘Papel da arte de incomodar e causar reflexão é mais do que fundamental’

Rapper concorre em categoria do BET Hip-Hop Awards

Redação Publicado em 14/10/2020, às 12h22

None
Djonga (Foto: Daniel Assis / Divulgação)

Djonga foi destaque no Jornal Nacional nesta terça, 13. O rapper mineiro é o primeiro brasileiro a receber pela indicação ao prêmio norte-americano BET Hip-Hop Awards, e recebeu a equipe da Globo na residência para falar sobre a indicação, relação com a família e antirracismo.

Entre as inspirações musicais citadas na matéria, estão Elza Soares, Cazuza, Milton Nascimento e Os Racionais. A avó de Djonga, dona Maria, também concedeu entrevista e contou como consegue “tirar o atraso” e frequentar festas e sair com o neto. A mãe, Rosângela, falou de uma conversa com o marido quando o filho decidiu abandonar a faculdade de História para focar na música. “Nós abençoamos e falamos para ele seguir o caminho dele”, lembrou. 

+++ LEIA MAIS: Abram alas pro rei! Djonga faz performance poderosa no MTV MIAW 2020 e protesta contra o racismo: ‘Parem de nos matar’

“Situações que você nunca imaginaria ser possível conseguir ser discriminado, você é. Diante disso, começa a entender o tamanho da estrutura, como precisamos lutar de fato”, explicou o rapper. “E como a luta é bem mais pesada e mais séria do que parece. Não é uma coisa de boca para fora. Ainda assim, o lance é bater no peito e falar ‘Vamos longe’”. 

“O papel da arte de incomodar e causar reflexão, para mim, é mais do que fundamental”, finalizou Djonga. “Fora isso, é levar diversão e amor para o coração de todo mundo”. 

Na premiação, Djonga disputa a categoria de Melhor Artista Internacional ao lado de nomes como Kaaris (França), Khaligraph Jones (Quênia), Meryl (França), Ms Banks (Reino Unido), Nasty C (África do Sul) e Stormzy (Reino Unido). A premiação será realizada no próximo dia 27 de outubro, às 22 horas no horário de Brasília, e a votação é aberta ao público. 


+++ TERNO REI: ‘ANTES DE LANÇAR, VOCÊ NUNCA SABE SE É BOM OU RUIM’ | ROLLING STONE