Dois casos de mentira e traição realmente devastaram Freddie Mercury, revela assistente

Segundo Peter Freestone, o vocalista do Queen "se machucou profundamente com duas pessoas" por quebra de confiança

Redação Publicado em 03/11/2019, às 16h00 - Atualizado em 24/11/2021, às 15h41

None
Montagem com Peter Freestone (Foto: CTK via AP Images) e Freddie Mercury (AP Images)

Após anos e anos de convivência, o assistente pessoal e um dos melhores amigos de Freddie Mercury, Peter Freestone, quem mantinha uma relação extremamente pessoal com a lenda do Queen, disse que mentiras e traições foram responsáveis por devastarem profundamente os sentimentos do vocalista. 

Durante uma entrevista ao Express Online para promover a coletânea Never Boring, Freestone revelou que o artista "realmente se machucou com duas pessoas" na época em que os dois se conheceram.

+++ LEIA MAIS: 'Bohemian Rhapsody' foi escrita por Freddie Mercury como uma mensagem para ex-namorada e melhor amiga Mary Austin?

O primeiro a magoá-lo foi seu antigo motorista, quem havia perdido a habilitação. Contudo, ele não admitiu a verdade: apenas desapareceu e não retornou nenhuma ligação, deixando Mercury perdido e preocupado.

"Quando descobriu, Freddie o chamou e disse: 'Querido, poderíamos ter encontrado outra coisa para você fazer.’ Mas, como ele não falou a verdade, Freddie o demitiu imediatamente." Confiança era indispensável para o vocalista do Queen. No entanto, já nos últimos dias de vida cantor, alguém especial o traiu da pior forma possível.

+++ LEIA MAIS: Freddie Mercury explicou por que deixou toda a herança para os gatos e ex-namorada

"Freddie descobriu a vida graças ao Paul Prenter [gerente de Freddie de 1977 a 1986]. Ele descobriu que não era pecado ser gay, que ele poderia sair, se relacionar. Ele estava cuidando de toda a banda, mas eles se livraram dele porque ele passava 90% do tempo com Freddie. E Freddie o levou adiante," contou.

Em 1986, Mercury já temia que ele pudesse ser HIV positivo e queria limpar a vida. No entanto, segundo Freestone, “Paul deu o furo da história” ao jornal The Sun em troca de 32 mil libras esterlinas.

+++LEIA MAIS: Elton John revela tocante presente de Natal enviado por Freddie Mercury no leito de morte

As revelações horrendas foram publicadas no dia 4 de maio de 1987, incluindo temas como promiscuidade, solidão e primeiras experiências homossexuais. Mercury jamais perdoaria, ou mesmo entenderia, a enorme traição de Prenter. "Freddie disse: 'Por que ele não me pediu o dinheiro? Eu teria lhe dado qualquer coisa.' Isso o fez duvidar de sua capacidade de confiar e julgar as pessoas," revelou Freestone.

"Ele se sentiu tão vulnerável e inseguro de si mesmo, com muito medo do que poderia acontecer caso ele descobrisse que estava doente", concluiu.