Dossiê Scott Pilgrim: Como a saga de jovem apaixonado contra ex-namorados se tornou cult tão rápido?

Filme é estrelado por Michael Cera e Mary Elizabeth Winstead e completa 10 anos em agosto deste ano

Felipe Grutter Publicado em 21/07/2020, às 07h00

None
Personagens do filme de Scott Pilgrim contra o Mundo (Foto: Divulgação/Universal) e dos quadrinhos (Foto: Divulgação)

“Não muito tempo atrás… na misteriosa terra de Toronto, Canadá, Scott Pilgrim estava namorando uma colegial”, e é assim que começa Scott Pilgrim contra o Mundo, filme de 2010 dirigido por Edgar Wright e estrelado por Michael Cera, que foi um fracasso quando lançado, mas conseguiu ganhar status cult em Hollywood alguns meses depois de sair de circulação dos cinemas no mundo.

Para quem não sabe, o longa é baseado nos quadrinhos de mesmo nome escrito por Bryan Lee O'malley - responsável por Repeteco, Lost at Sea, entre outros. A obra possui elementos misturados, como mangá e games, trazidos a produção de Wright.

+++LEIA MAIS: Os 10 melhores filmes a completarem 10 anos em 2020: Scott Pilgrim, Cisne Negro e mais [LISTA]

A história acompanha Scott Pilgrim, jovem adulto de 22 anos (no filme) que começa a trama namorando a colegial Knives Chau, interpretada por Ellen Wong. No entanto, o protagonista conhece a maravilhosa Ramona Flowers, interpretada por Mary Elizabeth Winstead. Quando começa a namorá-la, Scott descobre estar em uma situação nada agradável: os sete ex-namorados de Ramona o perseguem e constantemente procuram brigar até a morte pela amada.

Ramona é a primeira garota com a qual o protagonista passa por dificuldades para namorar, porque ao longo da HQ e do filme, você vê como ele namorou tantas pessoas. Isso tem uma lição de vida por trás, a obra mostra as lutas com ex-namorados como metáfora de que todos têm um passado, e o importante é focar no presente.

+++LEIA MAIS: Ator Marco Pigossi vira espião britânico em série gringa da Netflix; assista ao teaser

Sim, Scott Pilgrim contra o Mundo é espetacular, tanto no material original quanto na adaptação, mas quando chegou aos cinemas, a produção foi um fracasso, porque arrecadou cerca de US$ 48 milhões mundialmente. Para ter noção do prejuízo, o filme teve um orçamento de US$ 85 milhões.

No entanto, mesmo com um público basicamente nulo nos cinemas, não demorou muito tempo para Scott Pilgrim ser amado mundialmente e se ganhar o status de filme cult em Hollywood, e existem cinco motivos para isso, entre muitos outros.


Antes, as diferenças entre as HQs e o longa

Meu primeiro contato com Scott Pilgrim contra o Mundo foi pelo filme, lembro de ver TV em casa, mudava de canal e vi o título e me interessei na hora. Quando terminei de assistir, estava perdidamente apaixonado. Já com as HQs, só fui ter contato neste ano, porque ganhei os três volumes de presente da minha namorada. Como era de esperar, os livros são igualmente sensacionais.

Logo de cara, percebi que a idade de Scott era diferente. No filme ele tem 22 anos e 23 na obra de O'malley

Outra mudança acontece nas partes nas quais mostram o passado do protagonista, inexistentes no longa. Esse fato é compreensível, porque ocuparia muito tempo de tela, mas explicaria o motivo de Scott ser tão bom de luta, no filme não é explicado como Michael Cera sabe dar uns socos.

+++LEIA MAIS: Tenet: Novo filme de Christopher Nolan é adiado indefinidamente, após desentendimento do diretor com a Warner

Outro fator interessante seria ver a Lisa, uma das namoradas de Scott quando ele estava na escola. Eu sempre interpretei ela como a cantora Envy Adams, uma das maiores paixões - e ex namoradas - interpretada por Brie Larson. Hollie também foi cortada.

A personagem Julie, interpretada por Aubrey Plaza, também teve mudanças. No filme, ela sempre fala palavrões e mostra desprezar o protagonista. Já nos livros, ela adota uma postura bem mais tranquila.

Além disso, existem outras diferenças sutis. Ramona troca de cabelo a cada uma semana e meia no filme, nos livros a cada três semanas. Todos os livros se passam em um período de uma ano, já o longa em cerca de duas semanas.

Agora, sem mais delongas, listarei abaixo cinco motivos pelos quais Scott Pilgrimcontra o Mundo tornou-se um cult tão rapidamente.

+++LEIA MAIS: Jim Carrey lembra de quando foi avisado que teria só ‘mais 10 minutos de vida’


Motivo 1: Mistura de gêneros

Games, mangá e quadrinhos é uma das coisas que o filme de Scott Pilgrim contra o Mundo oferece ao espectador, e de forma bastante orgânica e visualmente espetacular. Os elementos gráficos de cada uma dessas mídias foram importadas a tela.

As cenas de luta tornam tudo ainda melhor, porque é quando todos esses três gêneros dialogam entre si do melhor jeito possível.

No entanto, essa mistura de gêneros foi um dos motivos responsáveis pelo fracasso comercial do filme, porque os materiais de divulgação da época do lançamento não eram bons e o público ficava confuso com a proposta trazida.


Motivo 2: Adaptação muito bem feita

Montagem feita pelo site Sessão das Três (Foto: Reprodução)

 

Hoje em dia é muito difícil de se ver uma adaptação de um livro realmente boa para os cinemas, mas Scott Pilgrim encontra-se no panteão de filmes incríveis baseados em obras literárias, certamente junto da trilogia O Senhor dos Anéis.

Mesmo com a exclusão (ou modificação) de vários elementos interessantes escritos originalmente por Bryan Lee O'malley, o filme passou toda essência do universo de Scott Pilgrim, desde roteiros até personagens e a ambientação.

+++LEIA MAIS: 3 filmes de sci-fi com finais incríveis - e 3 com finais horríveis [LISTA]


Motivo 3: A história é simplesmente única

Existem muitos filmes nos quais um cara tenta conquistar e continuar com o amor da vida dele, isso é bastante comum. No entanto, Scott Pilgrim contra o Mundoaborda esse aspecto da comédia romântica de forma genial.

Além disso, cada personagem é extremamente crível e identificável, de certa forma. O jeito como Wright reconstruiu a história de O'malley fluiu muito bem, não é à toa que o longa possui esse status cult e o levará por toda eternidade.


Motivo 4: Melhor trabalho de Edgar Wright

Edgar Wright é um dos melhores diretores da atualidade - e um dos meus favoritos. Antes de Scott Pilgrim contra o Mundo, ele entregou trabalhos extremamente bons, como Todo Mundo Quase Morto (2004) e Chumbo Grosso (2007). Depois do longa, o cineasta nos agraciou com Heróis de Ressaca (2013) e o perfeito Em Ritmo de Fuga (2017), mas nenhum deles chegam perto da grandeza de Scott Pilgrim.

Mesmo sem um trabalho no nível da adaptação, a qualidade nas produções comandadas por Wright continuam irreverentes, únicas e com primor técnico de tirar o chapéu.

+++LEIA MAIS: Astro de Laranja Mecânica não lembra da metade dos filmes que fez; entenda


Motivo 5: Vendeu muito, mas muito, DVD e Blu-ray

Capa de Scott Pilgrim contra o Mundo (Foto: Reprodução/Mercado Livre)

 

Por fim, existe um motivo técnico para o sucesso de Scott Pilgrim contra o Mundo depois do fracasso comercial nos cinemas: venda de DVD e Blu-ray. Isso fez com que o filme ficasse popular nas casas mundo afora.

De acordo com o The Numbers, site responsável por juntar dados de vendas da indústria dos filmes, Scott Pilgrim faturou cerca de U$ 28,6 milhões nas vendas de DVD e Blu-ray, pouco mais da metade da arrecadação nas bilheterias.

Com certeza, esse fator foi o principal responsável por dar fôlego e status cult a Scott Pilgrim contra o Mundo.


+++ 15 HISTÓRIAS INACREDITÁVEIS (E REAIS) DE OZZY OSBOURNE