DSTs e apelo sexual: AC/DC relembra clássico The Jack em filmagem de 1979

Comemorando os 40 anos de Highway to Hell, banda compartilhou com os fãs alguns momentos do início da carreira

Kory Grow / Rolling Stone EUA Publicado em 24/07/2019, às 16h50

None
AC/DC (Foto: Divulgação)

AC/DC tocou uma versão nebulosa de “The Jack”, ode do cantor Bon Scott às DSTs, quando a banda apareceu no programa de TV holandês Countdown no dia 13 de julho de 1979. Vestido apenas com uma calça jeans e sapato, Scott acariciava seu microfone e espiava a multidão amontoada enquanto cantava innuendos sexuais,  levando todos a uma cantoria acompanhada apenas pela bateria. Angus Young, também sem caminha, toca seu próprio solo de guitarra no meio do número. 

The Jack” originalmente estreou na versão Australiana de T.N.T (1975) e no lançamento internacional de High Voltage no ano seguinte. O título é uma referência à gonorreia. “Vivíamos em uma casa sempre cheia de mulheres que era super amigáveis e todo mundo pegou ‘the jack’ [gíria para a DST]”, explicou Scott ao Sounds em 1976. “Então escrevemos essa música e a primeira vez que a tocamos todo mundo estava na plateia sem saber o que ia acontecer. Quando repetimos ‘she’s got the jack’ [‘ela tem gonorreia’] eu apontei para vários deles.” Angus Young acrescentou, “depois disso, toda vez que tocávamos a música as meninas saíam correndo para longe do palco.”

+++ LEIA MAIS: A morte de Bon Scott dissecada 

A filmagem foi divulgada depois que a banda mostrou a performance de “Highway to Hell no mesmo dia e foi originalmente lançada no box de dvd Plug Me In. Eles agora relançaram os vídeos para celebrar os 40 anos do disco Highway to Hell(o último com Scott), que saiu no dia 27 de julho de 1979. Scott morreu de overdose de álcool em 18 de Fevereiro de 1980. 

Atualmente, o AC/DC mantém segredo sobre seus planos sobre os planos subsequentes da turnê Rock or Bustde 2016. No final da turnê de divulgação do disco, o grupo estava em um estado frágil. O substituto de Scott, Brian Johnson, saiu do grupo devido a problemas de audição. Malcolm Young saiu do grupo antes do lançamento do disco por problemas neurológicos e foi substituído pelo seu sobrinho, Stevie Young. E o baterista Phil Rudd enfrentava problemas judiciais em Nova Zelândia. Dito isso, Johnson e Rudd foram fotografados com o baixista Cliff Williams do lado de fora de um estúdio em Vancouver, levando a especulações de que poderiam estar fazendo um novo álbum. 

+++ LEIA MAIS: AC/DC quebra silêncio nas redes sociais para celebrar 40 anos de clássico

+++ SESSION ROLLING STONE: Francisco, El Hombre abre um diálogo sobre depressão com "Parafuso Solto :: Peso Morto"