De volta às raízes

Tecladista Nick Rhodes fala à Rolling Stone Brasil sobre o atual momento do Duran Duran, que faz show neste domingo, 13, no SWU

Patrícia Colombo Publicado em 13/11/2011, às 11h36 - Atualizado às 12h07

Duran Duran se apresenta no SWU neste domingo, 13
Foto: Divulgação

O Duran Duran está novamente no Brasil (a última vinda foi em 2008) e se apresenta neste domingo, 13, no festival SWU, que rola em Paulínia, interior de São Paulo. O grupo, sensação oitentista na ativa até hoje com mais de 30 anos de carreira, tem tido um 2011 agitado após o lançamento de seu décimo terceiro álbum de estúdio, All You Need is Now, que contou com a produção do hype Mark Ronson. O tecladista Nick Rhodes conversou com a Rolling Stone Brasil por telefone e falou sobre a atual fase da carreira da banda, que resgatou suas origens no álbum de inéditas sem assumir aquele tom verde e cheio de fungos que às vezes surge em trabalhos com referências ao passado.

Quando o álbum estava para ser lançado, ainda em 2010, Ronson e os integrantes já comentavam que o público poderia aguardar um retorno às raízes do Duran Duran – especialmente com relação a Duran Duran (1981), Rio (1982) e Seven and the Ragged Tiger (1983). Até no que se refere aos instrumentos houve um clima de “vale a pena ver de novo”, já que Rhodes utilizou nas gravações alguns de seus primeiros sintetizadores analógicos, a pedido do produtor. “O conceito do disco veio dele, que era usar os elementos do Duran Duran nos primeiros três álbuns e mapeá-los, como os vocais de Simon, muitas harmonias, letras abstratas, guitarras mais cruas”, conta o tecladista. “Mark disse para nós: ‘Foram essas coisas que fizeram o som da banda e é o que as pessoas gostam. Vocês passaram muito tempo experimentando e se afastando disso. Gostaria de ver se conseguiríamos usar esses elementos hoje em dia e fazer um álbum bastante moderno, mas que carregue a essência de vocês.’”

O disco chegou aos ouvidos dos fãs em dezembro de 2010 pela internet, mas só apareceu nas prateleiras no exterior em março do ano seguinte. Além de assumir a vida moderna e conectada com a disponibilização do trabalho na web, os integrantes deram outro grande passo: deixaram para trás os dias de artistas-de-grandes-gravadoras para se aventurar no universo dos lançamentos independentes. All You Need is Now saiu pelo selo do Duran Duran, Tape Modern. “Tínhamos lançado Red Carpet Massacre (2007) pela Sony e achamos que eles estavam sem esperança. Não acho que as gravadoras têm a mesma importância que tinham”, conta Rhodes. “Nós vimos que não precisávamos de ajuda de gravadora alguma. Liberamos o álbum para download no iTunes diretamente e, então, estabelecemos diversos acordos diferentes, como na distribuição, nas licenças, com quem achamos que era mais interessante. É uma forma muito mais moderna de olhar as coisas. Não precisamos de outros interferindo no que fazemos no atual momento da nossa carreira.”

O tecladista posiciona-se favorável com relação aos avanços da internet e seus aspectos positivos (o alcance dela, por exemplo), contudo, salienta que muito deve ser alterado para que não haja injustiças - e o ponto principal, claro, é a questão dos downloads ilegais. “Isso precisa ser resolvido”, salienta. “Há quem pense nas facilidades de querer ouvir algo e simplesmente obter online [sem pagar]. Gostaria de pedir para que considerem que alguns dos artistas novos de quem eles estão pegando canções de forma gratuita provavelmente não conseguirão gravar um novo álbum. É muito difícil se manter na música e fazer as coisas funcionarem. Se não tiverem dinheiro para um disco novo, então simplesmente não gravarão.”

"Girl Panic!"

Na semana passada, Simon Le Bon, Nick Rhodes, John Taylor e Roger Taylor divulgaram o vídeo da faixa "Girl Panic!", que teve direção de Jonas Åkerlund, conhecido por ter unido forças, por exemplo, a Lady Gaga e Beyoncé no clipe de “Telephone”. O trabalho com o Duran Duran resultou em uma espécie de curta-metragem com pouco mais de nove minutos de duração e ar fashionista, trazendo as lindíssimas (e inteiraças) top models dos anos 80 e 90 Naomi Campbell, Helena Christensen, Cindy Crawford, Eva Herzigova e Yasmin Le Bon (esposa de Simon) - cada uma delas interpretando um dos integrantes do grupo.

“Jonas é um dos diretores de clipes mais extraordinários de sua geração”, elogia Rhodes. “Eu o conheci antes [dos outros integrantes da banda] e tive essa ideia do clipe há uns dez meses. E originalmente tinha pensado em ter cinco modelos com nossos looks, quando estávamos começando, para interpretar cada um de nós. Então, compusemos ‘Girl Panic!’ e me deu um estalo: por que não pegar as pessoas da mesma geração que a nossa para nos interpretar? No final, ficou super divertido.” Assista abaixo: