É Proibido Fumar sai vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Longa-metragem de Anna Muylaert levou para casa cinco prêmios, incluindo o de melhor filme

Da redação Publicado em 09/06/2010, às 14h06

Anna Muylaert (ao fundo) e a produtora Sara Silveira recebem o prêmio de melhor longa-metragem de ficção

Ver Galeria
(3 imagens)

Foi realizada nesta terça, 9, a entrega do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro. O filme vencedor da nona edição do evento foi É Proibido Fumar, repetindo o feito conquistado no Festival de Brasília, realizado em novembro do ano passado, com o maior número de prêmios na noite.

O longa-metragem de Anna Muylaert levou o troféu em cinco categorias (incluindo melhor filme, melhor direção e melhor roteiro original) e superou Tempos de Paz, de Daniel Filho, que era o recordista de indicações (11, no total). O filme levou para casa dois dos prêmios a que concorria (roteiro adaptado e figurino). Simonal - Ninguém Sabe o Duro Que Dei, filme de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer sobre o cantor Wilson Simonal, também se destacou na noite, com quatro prêmios, incluindo o de melhor longa-metragem de documentário.

Entre os atores que levaram para casa a estatueta do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, estão Lília Cabral (Divã), Tony Ramos (Se Eu Fosse Você 2), Denise Weinberg (Salve Geral) e Chico Diaz (O Contador de Histórias). Veja abaixo a lista de vencedores.

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro - Vencedores

Melhor diretor: Anna Muylaert por É Proibido Fumar

Melhor longa-metragem de ficção: É Proibido Fumar, de Anna Muylaert

Curta-metragem de animação: O Menino que Plantava Invernos, Victor Hugo Borges

Curta-metragem de ficção: Superbarroco, Renata Pinheiro

Curta-metragem de documentário: De Volta ao Quarto 666, Gustavo Spolidoro

Figurino: Marília Carneiro, por Tempos de Paz

Maquiagem: Martín Macias Trujillo

Direção de arte: Claudio Amaral Peixoto, por Besouro

Direção de Fotografia: Ricardo Della Rosa, por À Deriva

Montagem de ficção: Paulo Sacramento, por É Proibido Fumar

Montagem de documentário: Karen Akerman, por Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei

Efeitos visuais: Marcelo Siqueira, por Besouro

Som: Denilson Campos e Paulo Ricardo Nunes, por Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei

Trilha sonora: Márcio Nigro, por É Proibido Fumar

Trilha sonora original: Berna Ceppas, por Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei

Atriz coadjuvante: Denise Weinberg, por Salve Geral

Ator coadjuvante: Chico Diaz, por O Contador de Histórias

Prêmio especial de preservação: Alice Gonzaga (escritora, pesquisadora, produtora, diretora e empresária do ramo cinematográfico)

Longa-metragem nacional de animação: O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes, de Walbercy Ribas e Rafael Ribas

Longa-metragem infantil: O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes, de Walbercy Ribas e Rafael Ribas

Longa-metragem estrangeiro: Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino

Roteiro adaptado: Bosco Brasil, por Tempos de Paz

Roteiro original: Anna Muylaert, por É Proibido Fumar

Longa-metragem de documentário: Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer

Longa-metragem de ficção nacional (voto popular): Se Eu Fosse Você 2, de Daniel Filho

Longa-metragem de ficção estrangeiro (voto popular): Avatar, de James Cameron

Melhor Atriz: Lília Cabral, Divã

Melhor Ator: Tony Ramos, Se Eu Fosse Você 2