“É impossível não pensar em uma torcida de futebol ao tocar no Brasil”, diz baterista do The National

Bryan Devendorf explica como novo disco definiu a carreira da banda e fala sobre a expectativa de tocar no Brasil

Ana Luiza Ponciano Publicado em 21/03/2018, às 17h14 - Atualizado às 19h22

The National

Ver Galeria
(3 imagens)

O público carioca fã de indie vai presenciar um momento muito importante para a música alternativa contemporânea. Duas das bandas mais consagradas do cenário, Spoon e The National, farão uma apresentação conjunta no Circo Voador na próxima quinta, 22, na qual mostrarão o quão leve e ao mesmo tempo sombria pode ser a vida. Para falar desse primeiro show do The National no Brasil em sete anos, que será seguido por uma presentação do grupo no Lollapalooza, 2018, a Rolling Stone, conversou por telefone com o baterista Bryan Devendorf, direito de Cincinnati, Ohio, nos Estados Unidos.

Tendo iniciado as atividades em 1999, por Matt Berninger (vocal), os irmãos Aaron (guitarra, teclado) e Bryce Dessner (guitarra) e os irmãos Scott Devendorf (baixo) e Bryan Devendorf (bateria), o National mantém a formação original. Questionado sobre o peso desses quase 18 anos, Bryan relembrou do primeiro show do The National. "Aconteceu em um evento privado na empresa do Matt, em um espaço de evento em Manhattan no ano 2000. Tudo mudou desde então, o público, nós, o mercado. O que ficou é que nós ainda estamos compondo, mas agora com um pouco mais de experiência."

Ao buscar na memória o que foi marcante ao passar pelo Brasil anteriormente, Bryan lembra muito bem da força da plateia "É quase um estereótipo, mas é impossível não pensar em uma torcida de futebol ao tocar no Brasil. É muito divertido", conta. Sobre o setlist selecionado para os dois shows, o baterista ressalta que a ideia é tocar muitas músicas do disco novo, Sleep Well Beast (2017), mas sem esquecer os hits dos outros álbuns. "Com certeza, o show solo terá um setlist bem diferente e maior do que o do Lollapalooza", enfatiza.

Sleep Well Beast é um ponto de partida. Ele chega colocando um ponto em uma etapa do The National e, ao mesmo tempo, traz a essência da banda. E traz também a personalidade da banda, mas de uma forma como se nunca tivéssemos feito nada antes disso". O disco é o sétimo da banda e o primeiro a ganhar um prêmio Grammy, mas com o impulso e autenticidade que a banda vem adquirindo ano a ano, dificilmente será o último.

The National e Spoon no Rio de Janeiro

22 de março, quinta-feira, às 21h

Circo Voador – Rua dos Arcos s/n, Lapa

R$ 120 (pré-venda) ou R$ 140 (com 1 kg de alimento).

Informações: 2533-0354