Édith Piaf inspira trilha sonora de A Origem

Trecho de “Non, Je Ne Regrette Rien” foi usado para a construção de toda trilha do novo longa-metragem de Christopher Nolan

Da redação Publicado em 29/07/2010, às 18h32

"Non, Je Ne Regrette Rien", famosa na voz de Édith Piaf, inspira trilha-sonora de A Origem
AP

A francesa Édith Piaf morreu há mais 40 anos, mas suas canções continuam influenciando artistas. Hans Zimmer, responsável pela trilha sonora de A Origem, novo filme de Christopher Nolan (Batman - O Cavaleiro das Trevas), revelou, em entrevista ao The New York Times, que se baseou em uma música cantada por Piaf para compor a parte musical do longa-metragem.

"Non, Je Ne Regrette Rien", clássico na voz da cantora, inspirou o trabalho de Zimmer, que usou um pedaço da canção como base. "Todas as músicas da trilha sonora são subdivisões e multiplicações do tempo do trecho. Então, eu poderia escorregar em meio tempo ou entrar em um terço de tempo. Qualquer coisa poderia ir em qualquer lugar. A qualquer momento eu poderia cair em um nível diferente", explicou ao jornal norte-americano. "Não usei a canção, foi apenas uma nota."

A semelhança entre o trabalho de Piaf e de Zimmer foi percebido pelo público na semana passada, quando um usuário do YouTube postou um vídeo comparando a trilha ao clássico da cantora - mostrando como o trecho da música teve sua velocidade reduzida para ser inserido na trama do longa. "Fiquei surpreso sobre como demoraram para descobrir", disse Zimmer. "Não era para ser segredo."

O diferencial do trabalho de Zimmer não foi somente a redução da velocidade da canção francesa, composta por Charles Dumont e gravada por Piaf em 1960, mas a construção de toda uma trilha com base na manipulação de um único trecho da faixa. "Amo tecnologia, então foi muito divertido ir buscar a versão original nos arquivos nacionais franceses", disse. "E daí achar um cientista louco na França que iria pegar aquela única célula do DNA."

O uso do material de Piaf foi encorajado por Nolan, que também escreveu A Origem. "Estava no roteiro", contou o compositor. Segundo ele, a trilha é usada como uma espécie de sinalização acerca de quando o personagem de Leonardo DiCaprio vai da realidade ao sonho (e vice-versa). "É como um dedo gigante apontando 'OK, tempo diferente'", explicou. Sobre a possibilidade de um Oscar por seu trabalho, comentou: "Eu não me importo com isso. Quando você trabalha com Chris Nolan, em um filme como A Origem, vale pela aventura."

Além de Leonardo DiCaprio, o longa-metragem é estrelado por Joseph Gordon-Levitt ((500) Dias Com Ela), Marion Cotillard (Inimigos Públicos) e Ellen Page (Juno). Na trama da ficção científica, Dom Cobb, personagem de DiCaprio, é um fugitivo internacional que rouba segredos da mente das pessoas durante o sono. Segundo a sinopse oficial, para se redimir de seus crimes, Cobb precisa fazer o inverso: plantar uma ideia no inconsciente de um indivíduo. O elenco ainda conta Ken Watanabe, Tom Hardy, Cillian Murphy, Tom Berenger e Michael Caine.

A Origem estreia no Brasil, segundo o portal IMDb, no dia 6 de agosto. Assista abaixo o vídeo que mostra a comparação de uma parte da trilha com "Non, Je Ne Regrette Rien", de Édith Piaf: