Eleições 2022: mais da metade dos brasileiros votaria em candidato LGBTQ+

De acordo com pesquisa do Instituto Atlas, 60% dos eleitores votariam em um candidato assumidamente LGBTQ+ nas eleições 2022

Redação Publicado em 08/09/2021, às 20h10

None
Duas mulheres com bandeira LGBTQ+ (Foto: Omer Messinger/Getty Images)

A pesquisa Impacto da orientação sexual dos candidatos sobre a intenção de voto ― Posicionamento político do eleitorado LGBT, realizada pelo Instituto Atlas e divulgada pelo El País mostrou como 60% dos eleitores votariam em um candidato assumidamente gay para presidente da República.

Por outro lado, 24% não votariam em um candidato homossexual, enquanto 17% afirmaram não saber se votariam ou não. Ao todo, foram ouvidas 2.884 pessoas entre 26 e 29 de julho, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 

+++ LEIA MAIS: Qual o futuro dos personagens LGBTQ+ no MCU? Victoria Alonso, vice-presidente da Marvel, responde

Os dados surpreendem, principalmente no Brasil, um dos países que mais mata pessoas LGBTQ+ no mundo, com cerca de uma vítima de homofobia a cada 23 horas. Além disso, presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) propagou diversos comentários homofóbicos ao longo da carreira política.

São poucos os políticos brasileiros que se declaram como LGBTQ+. Entre eles, está Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul, quem recentemente falou sobre ser LGBTQ+. Apesar de receber apoio no meio político, também foi alvo de críticas por apoiar Bolsonaro no segundo turno das eleições em 2018.

+++ LEIA MAIS: As conquistas da comunidade LGBTQ+ brasileira: dos avanços em decretos a retrocessos no Legislativo

Quanto ao impacto de um candidato à presidência revelar ser gay, 67% dos entrevistados revelaram que não interferia na escolha, enquanto 24% admitiram que isso diminuiria as chances de votar neste político. Somente 9% declararam como isso aumentaria as probabilidades de votar no candidato.

Além disso, a pesquisa também revelou como o governo Bolsonaro tem recorde de desaprovação entre os entrevistados homossexuais. 94% acham que não é um bom governo e 91% são a favor do afastamento do presidente.

+++ LEIA MAIS: Negra, drag queen, prostituta e ativista: Marsha P. Johnson, um símbolo da luta LGBTQ+