Inspiração em Nirvana e Amy e guitarra no set de The Handmaid's Tale: Elisabeth Moss conta como se tornará um ícone grunge nos cinemas

Duas vezes vencedora do Globo de Ouro, atriz interpreta uma estrela junkie e intensa do punk no filme "Her Smell'

Rolling Stone EUA Publicado em 13/04/2019, às 09h00

None
Elisabeth Moss (Foto: Jordan Strauss / Invision / AP)

Mesmo que Elisabeth Moss fosse adolescente durante anos 1990, a atriz nunca deu muita atenção ao grunge ou punk. "Eu não era descolada o suficiente", conta com uma risada. "Eu cresci no clássico, jazz e blues, eu era dançarina de balé. Eu estava mais para uma Britney Spears."

No ano passado, no intervalo das gravações de The Handmaid's Tale, ela ficou imersa no universo de Nirvana, L7 e Bikini Kill enquanto se preparava para interpretar uma cantora punk fictícia chamada Becky Something em Her Smell, novo filme de Alex Ross.

O longa retrata a história de um trio chamado Something She, em que Becky se envolve, de forma imprudente, com drogas e mergulha em seu egocentrismo. Moss revela que foi um dos papéis mais difíceis que ela já interpretou.

Em uma entrevista para a Rolling Stone EUA, ela conta como foi esse processo:

Grunge desde o início

A atriz buscou o máximo de músicas possíveis da época para poder entender melhor a atmosfera. "Eu comecei com o óbvio, o Nirvana, e depois me concentrei nas mulheres: Bikini Kill e esse tipo de coisa", diz ela. “Voltei para o The Runaways para adentrar no que Becky teria ouvido na adolescência. Eu estava realmente interessada na ideia desta geração que foi abandonada pelos adultos. ”

Para entender a revolução

Para entender o que motitava os artistas que inspiraram o grupo ficcional Something She, Moss conta que leu livros e assistiu a documentários. Girls to the Front: A Verdadeira História do Riot Grrrl Revolution, de Sara Marcus foi lido duas vezes pela atriz. "Este livro foi como uma Bíblia para esse movimento", conta Moss.

Pesquisando sobre "Amy"

Perry teve a idéia de Her Smell depois de ler a edição especial do Guns N 'Roses na Rolling Stone EUA e ficou imaginando o que Axl Rose estava fazendo durante seus anos de reclusão no final dos anos 1990. Mas quando Moss decidiu explorar o artista que estava fora de controle e em declínio, ela olhou para fora da caixa.

"Eu realmente não me conectei com Axl Rose, então eu olhei para ele como se fosse qualquer jovem que estivesse lidando com um nível extremo de fama e tivesse um problema com vício", diz ela.

“Quando eu olhava para Amy Winehouse e Marilyn Monroe e eu senti que ninguém estava preparado para lidar com a vida que tinham. Ela conta que assistiu Amy, o documentário sobre a vida de Amy Winehouse dez vezes. "Esse tipo de vulnerabilidade que ela tem é tão interessante", conta. Ela também ressaltou que, no que diz respeito aos ícones do grunge, "é como Kurt Cobain e Courtney Love".

Riffs no set de The Handmaid's Tale

Moss cresceu em uma família de musicos, mas nunca aprendeu a tocar nenhum instrumento. Então, por cerca de cinco meses, ela teve aulas de guitarra em Toronto, onde The Handmaid's Tale estava sendo filmada. "Eu carreguei uma guitarra comigo durante toda a segunda temporada", diz ela. “Eu treinei no carro, no meu trailer, sempre que eu podia. Meu objetivo não era aprender de fato, mas parecer que eu sabia um pouco o que estava fazendo ”.

Aulas com o cantor Beck

Para entender melhor como era a vida de um astro do rock dos anos noventa, Moss sentou-se com Beck. “Ele me ajudou muito em entender de onde veio essa música - por que esses adolescentes estavam tão zangadas com todo mundo? E de repente eu comecei a amar a música."

Como foi interpretar uma estrela punk

No filme, Moss está cheia de energia maníaca - se cortando e estrangulando seus colegas de banda. "Nenhuma coisa maluca estava fora dos limites", diz ela. Uma das partes mais difíceis foi manter o nível de energia de uma viciada em cocaína. "Regular os diferentes níveis de loucura - quando a personagem está feliz, triste, e como as diferentes drogas fazem ela se sentir - foi um desafio." Questionam como isso aconteceu e a atriz responde: "Café. Muita cafeína."

Her Smell chegou aos cinemas no Estados Unidos na última sexta, 12. A previsão de estreia do longa no Brasil ainda não foi divulgada. 

Assista aqui o trailer do filme: