Elton John condena homofobia na Rússia: “Não é propaganda gay. É como eu expresso a vida”

Veja o discurso do cantor durante uma apresentação em São Petersburgo

Rolling Stone EUA Publicado em 11/11/2014, às 16h38 - Atualizado às 18h03

Ver Galeria
(9 imagens)

Elton John recentemente discursou contra a homofobia da Rússia, em um show dele em São Petersburgo, expressando-se preocupado com o fato de um memorial do fundador da Apple, Steve Jobs, ter sido desmontado depois que o atual CEO da companhia, Tim Cook, assumiu que é gay. O cantor disse que se os gays são punidos por se expressarem, a humanidade está em perigo.

Conheça dez bichos de estimação que inspiraram o rock e o pop.

“Não sou muito ligado em tecnologia, mas amo meu iPad”, disse o cantor à plateia, de acordo com uma postagem no Facebook. “Eles são incríveis, não são? A maneira com que eles nos conectam aos mundo é maravilhosa. É muito digno que São Petersburgo tenha erguido um memorial em homenagem a Steve Jobs, o marcante fundador da Apple. Mas na semana passada ele foi classificado como ‘propaganda homossexual’ e foi desmontado”.

Edição 54 (capa) – Elton John: entrevista Rolling Stone.

“Dá para acreditar?”, perguntou ele à plateia. “A memória de Steve está sendo reescrita porque o sucessor dele na Apple, Tim Cook, é gay? Isso também faz com o que os iPads sejam propaganda gay? A linda música de Tchaikovsky é ‘pervertida sexualmente’?”.

Elton John e Eminem fizeram um dos dez grandes shows da história do Grammy.

“Como um homem gay, sempre fui bem-vindo na Rússia”, concluiu John. “Histórias de fãs russos – homens e mulheres que se apaixonaram dançando ‘Nikita’ ou os filhos que cantaram juntos em ‘Circle of Life’ – significam tudo para mim. Se não sou honesto sobre quem sou eu, não poderia ter composto essas canções. Não é propaganda gay. É como eu expresso a vida. Se começarmos a punir as pessoas por isso, o mundo irá perder a humanidade”.