Pulse

Elton John revela que Freddie Mercury o confrontou sobre uso excessivo de drogas e álcool

Em autobiografia, o músico desabafou sobre a dependência química: "Eu não tinha ideia de como viver, mas também não queria morrer"

Redação Publicado em 16/10/2019, às 14h21

None
Montagem com Elton John (Foto: Greg Allen / Invision / AP) e Freddie Mercury (AP)

A nova autobiografia de Elton John, Me, discorre sobre os altos e baixos de sua vida e carreira musical, especialmente no que diz respeito à sua longa e conturbada batalha contra a dependência de cocaína e álcool.

Em um dos capítulos do livro, John admite que Freddie Mercury, o falecido vocalista do Queen, entre outros amigos, o alertou inúmeras vezes sobre o uso abusivo de drogas.

+++ Leia mais: Freddie Mercury estava 'em paz consigo mesmo' nos seus últimos dias, revela assistente

Além disso, o músico de 72 anos relatou que o vício atingiu outros patamares no auge da fama, por volta dos anos 1980, e que Mercury confrontou o amigo para que ele procurasse ajuda profissional.

Em suas próprias palavras, John escreveu: "Fui balístico, gritando, dizendo as coisas mais dolorosas que conseguia pensar. Depois, me isolei em uma casa alugada, em Londres, por duas semanas, cheirando cocaína e bebendo uísque."

“Eu não atendia o telefone. Eu não atendia a porta."

"Eu não tomava banho, não me vestia. Estava sórdido. Horrível."

+++ Leia mais: Elton John lembra de Michael Jackson como "uma pessoa perturbadora" em autobiografia

"Percebi que, se eu continuasse daquele jeito por mais alguns dias, teria uma overdose ou um ataque cardíaco", continuou. "Eu não tinha ideia de como viver, mas não queria morrer."

A autobiografia Me: Elton John foi lançada na última terça, 15.