Em comunicado, ministra Ana de Hollanda lamenta a morte de Chico Anysio

"Poucos tiveram uma trajetória tão vitoriosa quanto a dele", escreveu a ministra da Cultura

Redação Publicado em 23/03/2012, às 19h31 - Atualizado às 19h57

Chico Anysio
Divulgação

Ana de Hollanda, ministra da Cultura, divulgou um comunicado sobre sobre a morte do humorista Chico Anysio. Leia abaixo:

“Chico Anysio foi um homem múltiplo. Humorista, escritor, locutor, roteirista, artista plástico. Poucos tiveram uma trajetória tão vitoriosa quanto a dele. Do começo no rádio, chegando à TV com mais de uma centena de personagens que retratavam o Brasil de Norte a Sul, deixou uma profunda lembrança em todos nós.

O humor de Chico era, ao mesmo tempo, popular e cerebral. Por meio do Coronel Limoeiro e de Pantaleão, retratou o sertanejo. Vestido de Salomé, aconselhou presidentes. Pelo Professor Raimundo, mostrou ao homem comum a importância da escola e da educação.

São tantos e queridos personagens. Assim como seus livros, que retratam histórias cotidianas, mas que Chico tinha o brilho de torná-las formidáveis. Tudo com graça, nos fazendo aprender entre gostosas risadas.

Certa vez, Chico lamentou que a vida chegasse ao fim. Legou, porém, uma imensa e valiosa obra. Minha solidariedade e do Ministério da Cultura aos parentes e amigos nesse difícil momento.”

Ana de Hollanda

Ministra de Estado da Cultura

Velório

Após uma luta de mais de um ano contra seus problemas de saúde, Chico Anysio morreu nesta sexta, 23, às 14h52, em decorrência de falência múltipla dos órgãos, após choque séptico causado por infecção pulmonar. O humorista sofreu duas paradas cardiorrespiratórias, e chegou a ser reanimado, mas não resistiu. Saiba mais. O velório ocorrerá no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a partir de 12h, e será aberto ao público.

Gênio indomável: em 2008, Chico Anysio falou à Rolling Stone sobre sua paixão pelo futebol e, claro, sobre o humor no Brasil.

Relembre personagens marcantes de Chico Anysio..