Em nota, Governo de Sergipe afirma que PMs agiram "com sensatez" em show de Rita Lee

Após a última apresentação de sua carreira, cantora foi detida por ter chamado os policiais de “cavalos”, “cachorros” e “filhos da puta”

redação Publicado em 30/01/2012, às 11h43 - Atualizado às 11h56

Rita Lee
Thais Azevedo

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e da Secretaria de Estado da Segurança Pública, divulgou uma nota sobre a detenção de Rita Lee na madrugada do último domingo, 29, após show da cantora em Aracaju.

Durante apresentação no Festival Verão Sergipe, a cantora se referiu aos policiais militares usando os termos “cavalos”, “cachorros” e “filhos da puta”. Rita afirmou depois que usou tais palavras porque viu os PMs agredindo, no público (estimado em 20 mil pessoas), integrantes de seu fã-clube. Ela foi levada à delegacia logo após a apresentação, e assinou boletim de ocorrência por "desacato e apologia ao crime ou ao criminoso (art. 287 do Código Penal)". Heloisa Helena, vereadora pelo estado de Alagoas, e a deputada estadual do Rio de Janeiro Janira Rocha, também compareceram à delegacia e testemunharam a favor de Rita. "Todo o ocorrido se deu como uma reação emocional, provocada pela ação truculenta desnecessária", afirmou a cantora no boletim. Rita Lee anunciou há alguns dias que o show em Aracaju seria o último de sua carreira.

Rita Lee ao vivo: veja grandes momentos da cantora nos palcos.

Segundo o comunicado divulgado pelo governo, “não foi registrada nenhuma ação dos policiais militares presentes na festa que justificasse os insultos proferidos pela cantora Rita Lee durante sua apresentação”. Leia a íntegra da nota abaixo.

Nota de esclarecimento sobre o show de Rita Lee no Verão Sergipe 2012

Sobre o episódio envolvendo a cantora Rita Lee, no último sábado, 28 de janeiro, na praia de Atalaia Nova, município de Barra dos Coqueiros, e o pedido da artista para que os policiais militares se retirassem do local, o Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), esclarece que:

1 - Um evento da dimensão do Verão Sergipe, em que ela se apresentou, gratuito e que atrai dezenas de milhares de pessoas, depende diretamente da Polícia Militar para que a segurança de quem participa da festa seja garantida. O comando da PM cumpriu seu papel com louvor, tanto é que o número de ocorrências nos dois primeiros dias do evento foi considerado muito baixo, e a instituição tem o reconhecimento do Governo pelos bons serviços prestados.

2 - Não foi registrada nenhuma ação dos policiais militares presentes na festa que justificasse os insultos proferidos pela cantora Rita Lee durante sua apresentação. Os profissionais da segurança pública cumpriram com seu papel, inclusive na escolta da artista em seu trajeto do hotel em que estava hospedada até o local do show, atendendo a uma solicitação da produção de Rita Lee.

3 - A Polícia Militar agiu com sensatez ao não interromper a apresentação de Rita Lee no momento em que foi insultada e desafiada pela artista, afinal, outra reação poderia provocar manifestações violentas na plateia, atrapalhando o clima de paz e tranquilidade registrado até então no evento.

4 - O Governo de Sergipe lamenta que em seu último show da carreira, como ela mesma anunciou, a cantora Rita Lee tenha provocado um mal-estar com uma instituição como a Polícia Militar de Sergipe, que ali estava presente para zelar pela segurança do público, dos profissionais envolvidos no evento e da própria Rita Lee.