Em novo ataque, Morrissey diz que Reino Unido se tornou a União Soviética

Ex-Smith também acusou imprensa britânica de discurso de ódio contra ele

Redação Publicado em 03/06/2019, às 18h26

None
Morrissey (Foto: AP / Marco Ugarte)

Mostrando abertamente seu apoio ao partido de extrema direita For Britain, Morrissey tem enfrentado boicotes (como a loja de músicas mais antiga do mundo deixar de vender seus discos) e diversas críticas de fãs, críticos e imprensa.

Nesta semana, o músico cansou-se das palavras do The Guardian, um dos principais jornais britânicos, que tem batido na tecla de crítica ao ex-frontman dos Smiths. O astro publicou em seu site uma réplica a um artigo intitulado “Boca Grande Ataca De Novo e De Novo:  porque os fãs de Morrissey se sentem tão traídos”, lançado pelo Guardian na última semana.

Além de criticar o jornal, o músico ainda reclamou da situação política da Grã-Bretanha, e agradeceu aos fãs pelo apoio que teve ao lançar California Son, seu novo disco, há pouco mais de uma semana.

“Por causa da exaustiva campanha de ódio movida contra mim pelo The Guardian e seus seguidores, fico feliz com a posição de California Son nas paradas do Reino Unido. Vale a pena prestar atenção no fato de que o principal antagonista nesta Campanha de Ódio é alguem que processei há anos por escrever mentiras sobre mim. Ele perdeu o processo, e agora busca vingança pessoal usando o jornal, que tem assediado todo mundo que tem contato com minha música, implorando para que eles digam algo terrível sobre mim para poderem divulgar”, escreveu.

“Isso é a cara da Britânica Soviética. Por favor, não comprem esse jornal de ódio, em que cada chamada em 2019 ecoa as palavras da falecida Mary Whitehouse [ativista britânica]. Porque essa é a voz de tudo que tem de ruim e triste na nova Bretanha”, completou.

As críticas e boicotes a Morrissey começaram quando ele apresentou-se em TV aberta usando um button do partido de direita For Britain, que busca bloquear a entrada de estrangeiros na nação, entre outras políticas conservadoras.

+++ De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos