Em novo livro, Fabio Massari revisita ano musical determinante em sua carreira [ENTREVISTA]

"84: O Álbum Inglês" leva o leitor a 1984, ano em que o jornalista e ex-VJ da MTV Brasil imergiu no universo dos bons sons da cena britânica

Itaici Brunetti | @itaicibrunetti Publicado em 11/03/2021, às 10h22

None

Fabio Massari é patrimônio cultural do Brasil. Assim como Nelson Motta e Kid Vinil, o jornalista, radialista, escritor e ex-VJ da MTV Brasil foi responsável por apresentar os "bons sons" aos ouvintes e telespectadores das décadas de 1990 e 2000. Como todo bom comunicador - e influenciador, formou gerações de apreciadores da música de qualidade. 

Aos 19 anos, magro, cabeludo e antes de ser apelidado de "Reverendo", Fabio Massari se aventurou pela Inglaterra em 1984. Largou a faculdade de engenharia no Brasil e rumou à Terra da Rainha para realizar um curso de inglês. Fã de música e com vontade de estudar comunicação no futuro, aproveitou para mergulhar na cena musical britânica, relatada em seu novo livro, 84: O Álbum Inglês, lançado pela Editora Terreno Estranho

+++LEIA MAIS:  O dia em que os Beatles conheceram a rainha da Inglaterra: ‘Não fale com ela, a não ser que ela fale com você’

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, Fabio Massari relembra: "A desculpa da viagem foi de ir fazer um curso de especialização de língua inglesa, mas claro que o plano principal era imergir no universo dos bons sons explorando o maior número possível de órbitas. Eu queria ir nos shows pequenos, nos shows grandes e nas lojinhas. Eu queria absorver tudo."

Residindo na cidade litorânea de Bournemouth, o brasileiro não pensava duas vezes em se locomover até Londres, Liverpool, Southampton e Poole para assistir aos shows dos maiores artistas existentes. Lá, viu de perto David Gilmour, Santana, Roger Waters, Ozzy Osbourne, AC/DC, Motörhead, Iron Maiden, Elton John, Van Halen, Frank Zappa e muitos outros, além de ter conhecido os pequenos clubes e palcos mitológicos como o Hammersmith Odeon, e o estádio de Wembley

"Fui para ver um pouco de tudo, de Divine e Dead Or Alive a Dio e Bob Dylan. Eu queria assistir a tudo mesmo; desde o underground até o Bob Dylan com o Eric Clapton tocando em Wembley", conta Massari, e pontua: "1984 já era o final do período das bandas de pós-punk. Havia alguns grupos híbridos apontando para as pistas de dança e tinha muito hard rock e heavy metal."

As tribos musicais que habitavam a Inglaterra de Margaret Thatcher foi algo que também encantou o ex-VJ. "Eu encontrava todo o tipo de gente no metrô de Londres. No dia do show do Frank Zappa, por exemplo, teve na cidade Echo & The Bunnymen, W.A.S.P. e The March Violets. Então, a cada estação o vagão ia se transformando. Eram muitas tribos diferentes se encontrando e isso me fascinava. Era o tipo de energia que eu queria experimentar."

Com trabalhos importantes e significativos na 89 FM, MTV Brasil (onde apresentou os programas Lado B, Clássicos MTV, Mondo Massari e Jornal da MTV) e em diversos sites e revistas, Massariressalta o impacto que os sete meses vividos em meio à efervescente Inglaterra musical teve em sua vida profissional: 

"Essa exposição muito intensa provocou transformações determinantes em mim por conta da quantidade de experiências musicais e de vida que eu tive com gente de todos os lugares do mundo. Voltei ao Brasil decidido a fazer faculdade de Rádio e TV [Massari cursou a FAAP]. Eu queria trabalhar com jornalismo musical, ainda meio sem saber em qual frente seria; rádio, redação ou TV."

Pré-Rock in Rio

Em janeiro de 1985 foi realizado a primeira e histórica edição do Rock in Rio,com Queen, AC/DC, Iron Maiden, Scorpions, Whitesnake, James Taylor, Ozzy Osbourne e outros grandes ícones do rock mundial no line-up. No entanto, alguns nomes que vieram ao Brasil pela primeira vez não chegaram a ser novidades para Fabio Massari, pois ele já tinha tido o contato do "ao vivo" com muitos desses artistas na Inglaterra. 

"Eu assisti a alguns shows que no ano seguinte acabaram vindo tocar na primeira edição do Rock in Rio", diz Massari. "O Iron Maiden mesmo, que estava excursionando com a World Slavery Tour e teve como o ápice da turnê o show realizado no Rock in Rio, eu cheguei ao vê-los tocando em um teatro ainda."

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

Guerra de substâncias

Uma passagem de 84: O Álbum Inglês que tem lugar especial guardado na memória de Fabio Massari - junto com os dois shows de Frank Zappa que assistiu em Londres - é a ida à quinta edição do Monsters of Rock, um dos maiores festivais de hard rock e heavy metal do planeta na época, realizado em Donington Park. Em 1984, tocaram AC/DC, Van Halen, Ozzy Osbourne,Gary Moore, Y&T, Accept e Mötley Crüe

"Foi uma experiência realmente 'louca'", relembra em tom empolgado. "Eram muitas bandas e com muita gente. Era uma coisa meio bruta, sem a infraestrutura de festivais que temos hoje em dia com barraquinhas de comida, etc. Era todo mundo, tipo, 'Se vira aí e vamos que vamos com muita cerveja, comida ruim e muita lama'."

Antes de finalizar a lembrança sobre a aventura no Monsters of Rock, e também a entrevista, Fabio Massari instiga: "Não quero dar muitos spoilers, mas teve até guerra de algumas substâncias no público. Foi uma tarde épica." 

84: O Álbum Inglês, o sexto livro de Fabio Massari pode ser adquirido neste link.


+++ HAIKAISS: 'O TRAP TAMBÉM PASSA UMA MENSAGEM CONSCIENTE' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL