Em show “curto”, Pearl Jam revê duas décadas de carreira

A banda de Seattle tocou hits e fez homenagens durante show em São Paulo na noite de quinta, 3

Paulo Terron Publicado em 04/11/2011, às 01h37 - Atualizado às 10h44

Eddie Vedder mantém intensidade no palco depois de 20 anos de carreira

Ver Galeria
(8 imagens)

É até estranho dizer que um show de mais de duas horas foi curto, mas para os padrões do Pearl Jam a apresentação de São Paulo, no Morumbi, nesta quinta-feira, 4, foi mesmo. Ainda mais dentro de uma turnê que comemora os 20 anos de carreira da banda de Eddie Vedder. Mas se o tempo foi reduzido (os shows do quinteto costumam ter entre 2h30 e 2h45), o alcance do repertório foi abrangente, com músicas de sete dos nove álbuns de estúdio da banda (No Code e Binaural foram os ignorados). Clique no link da galeria à esquerda para ver mais fotos.

O show foi aberto por volta das 21h20, com “Release”, de Ten, disco que completou 20 anos em 2011. E o grupo entende a importância desse trabalho, tanto que executou mais da metade dele (curiosamente, o hit “Jeremy” ficou de fora). Pela recepção das 50 mil pessoas (segundo a organização – parecia menos), já deu para ver que seria uma noite intensa. E banda retribuiu com uma animação rara para quem está na estrada há duas décadas: enquanto o baixista Jeff Ament e o guitarrista Mike McCready pularam sem parar, o normalmente pacato guitarrista Stone Gossard até arriscou alguns saltos.

Vedder, como sempre, foi um show à parte. Apesar de já não escalar plataformas nem se jogar na plateia (no máximo ele salta um monitor de som ou tenta se equilibrar nele) há alguns anos, o vocalista interpreta suas músicas com um frescor irrepreensível – mesmo os sucessos, como “Alive”, “Even Flow” ou “Daughter” (esta última com um trecho de “W.M.A.”). No lado B “Down” (depois resgatado na compilação Lost Dogs), o olhar do músico era quase maníaco.

Houve ainda uma homenagem a Johnny Ramone, guitarrista do Ramones e amigo do cantor. “A primeira vez que vim ao Brasil foi há dez anos, com o Ramones”, disse Vedder, referendo-se, na verdade, à turnê que passou por aqui em 1996. Ele emendou a dobradinha “Come Back” (escrita para Ramone e lançada em Pearl Jam) e “I Believe in Miracles”, do quarteto punk nova-iorquino. Outra grande influência do Pearl Jam, Neil Young, foi lembrada com a já tradicional versão para “Rockin’ in the Free World”.

O Pearl Jam se apresenta novamente no Morumbi nesta sexta, 4, e depois segue com a Pearl Jam Twenty Tour para o Rio de Janeiro (domingo, 6), Curitiba (quarta, 9) e Porto Alegre (sexta, 11).