Em transcrição inédita, ex-empregados dão detalhes sobre o abuso sexual de menores por parte de Michael Jackson

Jornal britânico divulgou trecho de conversa gravada por investigador em 1993, 12 anos antes de o cantor ter sido levado ao tribunal

Redação Publicado em 01/07/2013, às 18h18 - Atualizado às 18h36

Michael Jackson
AP

No último fim de semana, o tabloide britânico Sunday People revelou uma chocante gravação que corrobora com a tese de que Michael Jackson abusou sexualmente de menores de idade. O jornal teve acesso a uma série de documentos secretos que podem vir a ajudar no caso do coreógrafo Wade Robson, 30 anos, que entrou com uma ação contra o espólio de Michael afirmando que sofreu abusos por parte do cantor quando tinha entre 7 e 14 anos. Os papeis indicam que o Michael chegou a pagar US$ 35 milhões (o equivalente a R$ 78 milhões) para silenciar famílias de vítimas como Robson.

Wade Robson havia testemunhado em favor de Michael Jackson quando o cantor foi acusado de abuso sexual em 2005.

Os documentos e gravações pertenciam ao investigador particular Anthony Pellicano, que segundo o Sunday People foi contratado por Jackson na década de 90 para encontrar as famílias dos garotos (os documentos listam 17 nomes de meninos menores de idade). Quando o próprio Pellicano foi preso em 2002, por grampo ilegal, o FBI confiscou todos os arquivos dele – incluindo aqueles que envolviam o caso de Michael Jackson. Outro investigador que trabalhava com Pellicano guardou cópias de todos os documentos, e os revelou ao Sunday People.

Entre os arquivos, está a transcrição de uma conversa entre o investigador e dois ex-empregados do rancho Neverland, Philip LeMarque e a esposa dele, Stella, que moravam no local. Leia abaixo trechos da conversa, gravada em 28 de agosto de 1993.

Stella: “O Garoto A veio ver o Michael. Os pais estavam na sala fumando maconha com um bebê de cinco meses. Na época ele estava louco pelo Garoto A e o irmão dele.”

Philip: “Michael gosta deles jovens. O Garoto A estava ficando velho. A primeira vez que Michael viu o Garoto A no filme XXXXXXX, ele disse ao Garoto A que gostaria de conhecê-lo.”

Investigador: “Espere um minuto. Ela [uma ex-empregada de Michael Jackson] faz acordos com os pais das crianças?”

Philip: “Ela faz acordos com os pais para trazer todo mundo... Os pais com as crianças para o rancho. Se tem cinco crianças o Michael escolhe o que ele quer.”

Investigador: “Você está dizendo que ela [uma ex-empregada de Michael Jackson] traz uma seleção de crianças para Michael escolher? Como um cafetão?”

Philip: “Sim.”

(...)

Investigador: “Quero saber sobre as outras crianças. Imagino que havia algumas.”

Philip: “Mais do que algumas.”

Investigador: “Ok, vamos chegar nelas, mas me diga o que você sabe sobre Michael e o Garoto A.”

Philip: “[Michael] me ligou às duas da manhã para dizer ‘Philip, você por favor me traz batatas fritas?’. Ok, eu levanto e vou fazer batatas fritas para ele. Então, pego o rádio, ligo para a segurança e pergunto: ‘Onde está Blue Fox?’ Eles dizem: ‘Oh, ele está no salão de jogos...’ Eu fui pela outra entrada e entrei por lá e foi aí que vi Michael tocando o menino. “

Investigador: “Michael estava tocando as partes íntimas do garoto por cima da calça?”

Philip: “Não, não, não… Por dentro da calça.”

Stella: “O Garoto C no cinema, Michael fez a mesma coisa com ele… e a mãe estava duas ou três fileiras à frente.”

Investigador: “Eles não estavam assistindo pornografia?”

Stella: “Não, mas estavam se beijando.”

Investigador: “Na bochecha?”

Stella: “Não, como amantes. Eu os vi. Aquilo não era normal.”

Vídeo mostra Michael Jackson conversando com os filhos no Natal; assista.