Empresário dispensa Marilyn Manson após acusações de abuso

Tony Ciulla começou a trabalhar com Manson por volta de 1996, ano de lançamento do disco Antichrist Superstar

Felipe Grutter | @felipegrutter (com supervisão de Itaici Brunetti) Publicado em 08/02/2021, às 12h39

None
Marilyn Manson em 2003 (Foto: Jon Kopaloff/Getty Images)

Tony Ciulla, empresário de longa data de Marilyn Manson, dispensou o cantor por conta das acusações de feitas pela atriz Evan Rachel Wood, ex-noiva do dono de "The Beautiful People". 

De acordo com a Rolling Stone EUA, uma fonte "próxima à situação" confirmou a saída de Ciulla. O relacionamento dos dois começou por volta de 1996, ano no qual Manson lançou o segundo disco de estúdio, Antichrist Superstar.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

O empresário ajudou o cantor em diversos momentos conturbados da carreira, como processos judiciais de ex-membros da banda a respeito de royalties - e supostas agressões feitas a membros da segurança em locais de shows.

Toda polêmica com Marilyn Manson começou depois da denúncia de Evan Rachel Wood, ao alegar que o cantor "começou a aliciá-la quando era adolescente e a abusou terrivelmente durante anos." Desde então, o artista negou as acusações, foi cortado de American Goods e desligado da gravadora Loma Vista Recordings.

+++LEIA MAIS: Como Axl Rose deu a volta por cima e se tornou relevante para a música novamente [LISTA]


+++ PAI EM DOBRO | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL