Empresário do Nirvana reflete sobre a rixa entre Kurt Cobain e Axl Rose: 'Estavam em pontos diferentes da cultura'

Postura de bad boy do vocalista do Guns N' Roses não condizia com ideais de "integridade" do Nirvana, explica Danny Goldberg

Redação Publicado em 28/08/2020, às 11h39

None
Kurt Cobain, do Nirvana, em 1991 (Foto: Kevin Estrada/MediaPunch/IPX) e Axl Rose em 1988 (Foto:Gene Ambo / MediaPunch /IPX)

Axl Rose, vocalista do Guns N’ Roses, era admirador do trabalho do Nirvana e tentou se aproximar de Kurt Cobain algumas vezes, mas o colega nunca fez questão desse encontro. A inevitável rixa que se seguiu resultou em trocas de farpas públicas e uma discussão acalorada. 

Danny Goldberg, ex-empresário do Nirvana, comentou o desentendimento em entrevista ao Yahoo.Kurt e Nirvana tinha a preocupação de se diferenciar da cena comercial do rock and roll que estava em alta antes”, explica. “Definitivamente, existia uma identidade de macho arrogante nessas bandas, completamente oposta à ideia de masculinidade e integridade de Kurt, Nirvana e bandas como Pearl Jam tinham na época”.

+++ LEIA MAIS: Duff McKagan defende músicas racistas e machistas do Guns N' Roses nos anos 1980

A postura feminista de Cobain não poderia concordar com algumas atitudes e letras do Guns N’ Roses, e Goldberg lembra trechos problemáticos de “One in a Million”, faixa lançada em 1988 pelo GnR, com comentários racistas, homofóbicos e xenofóbicos. “[Os dois] estavam em pontos diferentes da cultura”, conclui o empresário. “Na época, eram filosofias conflitantes”. 


+++ XAMÃ: MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO, DE NIRVANA A TUPAC