Entenda a história do 5 de novembro, data de V de Vingança e Guy Fawkes

Alan Moore se inspirou no feriado inglês para subverter conceitos históricos e criar o ícone das HQs

Vinicius Santos | @vini_ls13 Publicado em 05/11/2020, às 15h07

None
V de Vingança (foto: reprodução/ Warner)

Esta quinta-feira, dia 5 de novembro, nos territórios da Grã-Bretanha, é comemorado o feriado conhecido como Noite de Fogueira. Os britânicos celebram a conspiração da pólvora, plano para destruir o parlamento inglês e matar o rei Jaime I

Bom... Na verdade, o que é celebrado é a falha desse plano. A conspiração partiu de um grupo interessado em derrubar a igreja anglicana e colocar um rei católico no trono da Inglaterra, mas vários historiadores acreditam que um delator revelou o ataque para a coroa, que agiu contra.  

+++LEIA MAIS: Filme escrito e estrelado por Alan Moore ganha trailer; conheça 'The Show’

Havia um soldado católico em vigia de 36 barris de pólvora escondidos nos porões do parlamento inglês no dia 5 de novembro de 1605, quando a guarda real adentrou no subsolo e impediu o atentado. O nome dele era Guy Fawkes.

Fawkes foi condenado a morte e a conspiração da pólvora fracassou. Desde então, virou tradição britânica queimar bonecos com o cavanhaque e chapéu infames do revolucionário frustrado no feriado.

O que ninguém esperava era a ressurreição de Guy Fawkes como uma máscara carnavalesca, usada por inúmeros manifestantes em protestos ao redor do mundo. O responsável por esse retorno foi a lendária HQ escrita por Allan Moore e ilustrada por David Lloyd,V de Vingança (1982).

+++ LEIA MAIS: Alan Moore volta a criticar a DC Comics

A premissa da história criada por Moore imagina uma versão alternativa da Grã-Bretanha, caso ela tivesse sido tomada pelo fascismo. Ele e Lloyd queria uma figura revolucionária para derrubar o governo ditatorial, mantendo questionamentos sobre a legitimidade do uso da violência contra o totalitarismo. 

 O autor acabou por usar Guy Fawkes para criar o personagem de V. O anarquista nunca mostra o rosto e, ao contrário do conspirador o qual ele se veste para imitar, é bem-sucedido em explodir o parlamento nas primeiras páginas da revista:

+++ LEIA MAIS: Alan Moore não aprova série de Watchmen, e o produtor não está nem aí

A ideia era que V poderia ser qualquer cidadão britânico por conhecer o feriado e, após ser perseguido e torturado pelo governo fascista, se vingaria. A cultura popular se une ainda mais a história do personagem na cena do 'nascimento' de V, quando ele escapa dos campos de concetração durante um incêndio, ou seja, ele mesmo foi queimado assim como um boneco de Guy Fawkes: 

This Month in Comics History: V for Vendetta | Comic Book Blog | Talking  Comics

+++LEIA MAIS: ‘Todo Mundo em Pânico’: Marlon Wayans chama irmãos Weinstein de 'malignos' e relembra demissão: 'Nos devem muito dinheiro'

O sucesso e influência de V de Vingança se consolidaram nos anos 1980 quando todas as edições produzidas pela malfadada editora Warrior, de 1982 a 1985, foram reunidas pela DC Comics em 1988 e transformadas em graphic novel. Mas a influência recente desse ícone deve-se ao filme de 2006, comandado pelas irmãs Wachowski (trilogia Matrix).

O sucesso do filme colocou os ideais de protesto anti-sistema de V em evidência novamente e as máscaras de Guy Fawkes voltaram a ser reproduzidas e comercializadas em massa. Grupos como o Anonymous e Occupy Wall Street, assim como manifestantes menos organizados como os protestos de 2013 no Brasil, passaram a usar o símbolo.


+++ TERNO REI | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes