Entidade criada por Wyclef Jean é novamente acusada de corrupção

Organização sem fins lucrativos usou em serviços apenas um terço da verba arrecadada em doações

Rolling Stone EUA Publicado em 29/11/2011, às 10h42 - Atualizado às 10h49

Wyclef Jean
Foto: AP

Novas alegações surgiram com relação à Yele Haiti, a organização beneficente criada por Wyclef Jean. De acordo com o The New York Post, a fundação arrecadou US$ 16 milhões após o terremoto no Haiti, mas contribuiu apenas com um terço de tal quantia para os esforços de emergência.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Em 2008, o jornal publicou que Yele Haiti – que foi fundada por Wyclef Jean com seu primo, Jerry Duplessis, em 2005 – nunca tinha juntado a documentação necessária do imposto de renda. Depois do terremoto em janeiro de 2010, Wyclef arrecadou milhões de dólares em campanha pelo Twitter. Em resposta às alegações na época, admitiu erros, mas insistiu que nunca usou o dinheiro para fins pessoais. “Se eu usei o dinheiro da Yele em benefício próprio? De forma alguma!”, disse ele em coletiva de imprensa.

No entanto, parece que agora o cunhado de Jean foi um dos destinatários de centenas de milhares de dólares que a fundação havia separado para os serviços. O outro destinatário foi uma suposta empresa na Flórida chamada Amisphere Farm Labor, que recebeu mais de US$ 1 milhão. Os repórteres do Post não encontraram a companhia.

Jean e a maioria dos membros do conselho deixaram a Yele na metade de 2010. “Estamos começando do zero agora”, diz o novo diretor Derek Johnson.