Entre altos e baixos: relembre a carreira do memorável John Travolta

Do Oscar ao Framboesa de Ouro, relembre a trajetória do ator que completa 67 anos nesta quinta, 18

Vitória Campos | @camposvitoria (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 18/02/2021, às 16h33

None
John Travolta (Foto: Tristan Fewings / Getty Images)

John Travolta completa 67 anos nesta quinta, 18. Conhecido pelos altos e baixos na carreira, mostrou-se perseverante e determinado em continuar sendo um ator querido mundialmente. 


Início de uma grande carreira

John Joseph Travolta nasceu em Englewood, Nova Jersey, em 1954. Primogênito de seis, foi inscrito pela mãe na adolescência em uma escola de teatro em Nova York, EUA. Estudava canto, dança e atuação e, aos 16 anos, conquistou seu primeiro trabalho no musicalBye Bye Birdie

+++ LEIA MAIS: Como a Cientologia entrou na cultura pop e conquistou estrelas de Hollywood, de Tom Cruise a John Travolta

Com 18 anos, Travolta estreou na Broadway com o musical Grease. Em busca de novas oportunidades em Hollywood, mudou-se para Los Angeles, onde conseguiu pequenos papéis em séries de televisão. O ator começou a ficar conhecido entre o público norte-americano com Welcome Back, Kotter (1975-79)

Ao estrear no cinema com Carrie (1976), Travolta se consagrou como estrela. Obteve ainda mais popularidade com seus sucessos, Os Embalos de Sábado à Noite (1977) e Grease - Nos Tempos da Brilhantina (1978). No primeiro, interpretou Tony Manero, rei das discotecas, o qual lhe rendeu uma indicação ao Oscarde Melhor Ator . Em Grease, foi Danny, quem se apaixona por Sandy (Olivia Newton-John), enquanto aproveitam um verão na praia. Além de  grande marco na carreira, Grease também marcou os musicais no cinema e foi o segundo disco de trilha sonora de filme mais vendido naquele ano. 

+++ LEIA MAIS: John Travolta e Olivia Newton-John revivem papéis de Grease pela primeira vez em 41 anos

Olivia Newton-John e John Travolta como Sandy e Danny em Grease (Foto: Distribuição)

A Queda de Travolta

Com tamanho sucesso, a parceria de Travolta e Olivia Newton-John foi repetida em Embalos a Dois (1983), mas não obtiveram o mesmo sucesso. O ator voltou a interpretar Tony Manero na continuação Os Embalos de Sábado Continuam (1983), porém o filme foi muito mal recebido pelos críticos. Com isso, Travoltacaiu no ostracismo durante a década de 1980. 


Retorno ao topo 

Travolta conseguiu reerguer sua carreira com o clássico Pulp Fiction: Tempo de Violência (1994) de Quentin Tarantino. O personagem Vincent Vega rendeu uma outra indicação ao Oscar, além de ter marcado de forma muito positiva sua carreira, sendo icônico até hoje. 

+++ LEIA MAIS: Incluíram um gatinho em Pulp Fiction para atuar com John Travolta e o resultado ficou incrivelmente fofo; conheça ‘Purr Fiction’

Vincent Vega e Jules Winnfield em Pulp Fiction: Tempo de Violência (Foto: Reprodução)

 

O ator conseguiu vários outros papéis, como O Nome do Jogo (1995), A Última Ameaça (1996) e A Outra Face (1997) sem muito destaque, porém, com Hairspray - Em Busca da Fama (2007),  foi aclamado novamente e voltou a dançar em cena. 

Travolta apareceu novamente nas premiações de 2017 com seu papel na série American Crime Story: O Povo Contra O.J. Simpson, responsável pelo seu Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante.

+++ LEIA MAIS: John Travolta é tão rico que joga Monopoly com dinheiro real


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


Fora dos Holofotes

Além da vida dedicada ao cinema, Travolta ama voar nas horas vagas. Apaixonado por aeronaves, é piloto e dono de um Boeing 707. 

No quesito amoroso, foi casado com Kelly Preston de 1991 até 2020, ano da morte da atriz. Tiveram três filhos, porém, o mais velho faleceu devido a uma convulsão.

+++ LEIA MAIS: John Travolta faz versão desconfortável da dança de Pulp Fiction em programa de TV italiano; assista


Mesmo com extremos na carreira, como suas indicações ao Oscar e ao Framboesa de Ouro, Travolta mostrou ter grande poder de reinvenção e seu talento para cantar, dançar e interpretar serão sempre lembrados como símbolos da versatilidade do icônico ator.


+++ HUNGRIA HIP HOP: 'SOU APEGADO EM SORRISOS QUE A MÚSICA PODE LEVAR' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL