Escute a versão de Scott Weiland para "Winter Wonderland" e leia a entrevista com o músico

O frontman do Stone Temple Pilots explica o motivo de ter feito um disco de Natal e de planejar longas férias para o ano que vem

Andy Greene Publicado em 29/10/2011, às 09h04

Scott Weiland
Foto: AP

Scott Weiland e música de Natal, provavelmente, não são coisas que a maioria das pessoas associa. Mas o frontman do Stone Temple Pilots – cujo álbum de clássicos de Natal Most Wonderful Time Of The Year chegou às prateleiras esta semana – diz que ele sempre amou os standards da data festiva. "Tenho escutado essas músicas minha vida toda”, ele conta à Rolling Stone EUA. "Foi uma honra fazer esse disco.”

O álbum conta com standards como "White Christmas", "Silent Night" e "I'll Be Home For Christmas" Muitas das faixas foram interpretadas com uma grande orquestra (ouça "Winter Wonderland" abaixo). O estilo vocal de Weiland varia drasticamente entre as faixas. "Eu nunca gravei algo comercialmente, antes, em que atuasse como crooner" ele diz. "Mas se ouvir meus discos solo, eles mostram que há uma diferença bem grande na música que me influencia e na forma como uso minha voz. Encaro minha voz como um instrumento. Meus dois cantores preferidos, John Lennon e David Bowie, tinham vozes muito diferentes que usavam dependendo do clima da música.”

Algumas das faixas mantiveram o arranjo conhecido, enquanto outras são mais ousadas. "Queríamos fazer uma versão meio reggae de 'Silent Night'" diz Weiland. "Ele tem uma versão mais suingada 'What Child Is This?' e temos uma bossa nova, algo meio anos sessenta e kitsch, em uma das músicas. No fim tudo funcionou incrivelmente.”

A mera existência desse álbum pode chocar alguns dos fãs de Weiland, mas ele ainda não recebeu tais reações. "Todo feedback que tenho recebido tem sido bastante bom", ele diz. "Minhas memórias da época de Natal são muito especiais, principalmente de quando era criança. Essas músicas, apesar de estilizadas, já foram feitas e refeitas por tanta gente diferente – e ainda assim as pessoas amam ouvi-las na época de festas. É algo de que eu simplesmente quero fazer parte.”

O Stone Temple Pilots tem uma mini turnê na América do Sul escalada para novembro, mas aí isso se encerra e Weiland fará seis shows solo de Natal. "É uma turnê de teatros é será bem cheia de classe" Weiland diz. "Levaremos uma pequena parte da orquestra conosco e iremos ao sindicato dos músicos e acharemos outros artistas para complementar o resto da orquestra. Então, daremos duas entrevistas para programas matinais, duas para programas vespertinos e duas outras para programas que vão ao ar tarde da noite.”

Uma turnê norte-americana do Stone Temple Pilots foi adiada no mês passado por causa dos problemas contínuos de Weiland na garganta. "Minha voz estava acabada”, Weiland diz. "Tenho viajado com shows sem parar desde que estava no Velvet Revolver. Fizemos shows demais desse último disco do STP. Às vezes começa a dar a sensação de que você está batendo ponto. Falei muitas vezes a eles de que tínhamos que parar porque minha voz estava falhando. Finalmente, um médico especialista colocou uma câmera pela minha garganta abaixo. Uma das minhas cordas vocais estava forte – tipo forte demais – mas a outra estava muito fraca. Ele temeu que eu fosse fazer um estrago irreparável.”

Weiland acha a situação toda bastante frustrante. "Não é para apontar dedos, mas houve falta de comunicação", ele diz. "As coisas vão passando despercebidas e isso não pode acontecer. Não haveria um disco de Natal e discos do STP, ou shows, se minha voz fosse destruída.”

Quando acabar a turnê do STP e Weiland terminar toda a promoção para o álbum de Natal, ele está ansioso para longas férias. “Nos últimos oito anos, mal tive mais do que dois meses de descanso”, ele diz. “Quero passar tempo com os meus filhos e quero ter uma vida pessoal."

Ouça aqui "Winter Wonderland"