“Essa é a única coisa com a qual você pode contar: o seu personagem vai morrer”, brinca atriz de Game of Thrones

Gwendoline Christie (Brienne de Tarth) e Pedro Pascal (Oberyn Martell) falam sobre a quarta temporada da série, a sina dos personagens e da exposição que chega agora ao Brasil

Pedro Antunes, do Rio de Janeiro Publicado em 04/04/2014, às 14h23 - Atualizado às 18h13

Game of Thrones
Reprodução

A grandalhona Brienne de Tarth e o pequeno e misterioso Oberyn Martell deixaram o fictício continente de Westeros para aparecer no Shopping Village Mall, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, no início da tarde desta sexta-feira, 4, para falar sobre a estreia da quarta temporada e, também, da exposição Game of Thrones - The Exibition, que estará aberta na capital fluminense a partir deste sábado, 5.

Exposição de Game of Thrones propõe viagem sem igual aos Sete Reinos de Westeros

Sorridentes e simpáticos, Gwendoline Christie e Pedro Pascal revelaram que visitaram a exposição com os olhares atentos de quem esteve nos sets de gravação e se surpreenderam, principalmente, com um simulador que de fato parece colocar as pessoas dentro do universo criado por George R. R. Martin. “Eu não sabia o que esperar, não imaginava que fosse tão sensorial”, revelou Gwendoline, tão alta quanto a personagem dela na série da HBO.

Já Pedro entrou no programa nesta quarta temporada e, na exposição, disse ter se sentido “como um fã”. “Eu assistia ao programa antes de ser escalado. E me sentia como entrando em um museu”, disse ele. “Comecei a ficar animado ao ver os Sete Reinos. E, depois, lembrei que eu estava no programa também”, concluiu, rindo.

Quarta temporada de Game of Thrones: assistimos ao primeiro episódio e contamos as nossas impressões sobre o retorno da série à TV.

O grande diferencial da exposição deste ano, que conta com mais de 100 peças (conheça os detalhes no link abaixo), é o simulador que coloca os fãs para subir por um elevador até o topo da Muralha que separa o continente de Westeros de um território pouco conhecido e incrivelmente perigoso. “Eu entrei no simulador na frente de todo mundo, para o meu azar”, revelou Pedro. “De repente, comecei a gritar na frente de todo mundo”.

“É muito sensorial”, concordou Gwendoline. “Acho que é uma ideia inteligente. Somos tão apaixonados pelo programa que queremos entrar nele. O simulador faz isso.”

Game of Thrones: veja 16 fotos imperdíveis da quarta temporada.

É a segunda vez que a exposição vem ao Brasil – a primeira foi em São Paulo, em 2013 – e os ingressos gratuitos se esgotaram em questões de horas. O país, segundo um executivo da emissora HBO, é o segundo maior mercado da série no mundo.

A série, também campeã de downloads ilegais, é adorada (e odiada) pelos fãs pelas reviravoltas na trama, gargantas cortadas e seios à mostra. Ela tem seus segredos mantidos o máximo possível. Spoiler é quase um pecado mortal entre os fãs. “A HBO nos ameaça para não revelarmos os segredos”, brincou Pedro quando o tema foi levantado. “Certa vez, fui contar a um amigo sobre uma cena que havia feito com alguém e ele me pediu para que parasse de falar. Aquilo era spoiler! Sequer posso dividir a experiência.”

Séries de TV que mal podemos esperar para assistir em 2014.

Gwendoline conta que os amigos mais próximos perguntam aqui ou ali sobre os acontecimentos da série – mesmo que a história esteja disponível nos livros, a cada temporada, as diferenças entre literatura e televisão se acentuam cada dia mais. “É tão emocionante não contar para as pessoas e deixar que elas se surpreendam”, diz.

Veja segundo trailer da quarta temporada de Game of Thrones:

A atriz, que vive uma das personagens mais adoráveis da série, Brienne, diz se identificar com o fato de a guerreira ser tão forte e vulnerável ao mesmo tempo. “Ela não é uma mulher convencional, entende? Ela precisa lidar com dificuldades e encontrar forças para isso. Sinto essa conexão com ela”, disse Gwendoline.

“É uma personagem tão bem escrita, tanto por George Martin quando pelos nossos produtores da série.” A atriz também precisou se despedir de certa feminilidade, segundo ela, para conseguir interpretar a personagem. “Fiz exercício, treinei luta, tentei o melhor para reproduzir Brienne na tela”.

Já Oberyn Martell é conhecido como Víbora Vermelha, um personagem recém-ingresso na série e pronto para causar estrago na sede de vingança contra os Lannisters, família que atualmente detém o poder no Trono de Ferro. O novo jogador nesta disputa pelo trono colocará Porto Real em alerta. “Ele também traz um elemento mediterrâneo diferente”, diz o ator sobre o fato de o personagem vir de Dorne, localizada ao sul de Westeros, e usar roupas leves que o expõem mais. “Ele tem uma energia sensual. Ele é um cara que vive por um motivo, ele age antes de pensar. Ele vai lutar com você ou fazer amor com você. Ele vive nestes extremos e, por isso, não é perfeitamente são”.

A Mão por Trás do Trono: George R.R. Martin fala sobre Tyrion, cenas de sexo e o próximo livro de As Crônicas de Gelo e Fogo.

O fim da terceira temporada trouxe, mais uma vez, mortes inesperadas e de partir o coração dos fãs. Algo a que, segundo aconselha Gwendoline ao novo companheiro Pedro e aos jornalistas presentes, é preciso se acostumar. “Essa é a única coisa com que você pode contar: o seu personagem vai morrer”.

Game of Thrones volta às telas neste domingo, 6, na HBO Brasil, na mesma data em que chega aos Estados Unidos.