Estado Islâmico assume autoria do ataque no show de Ariana Grande em Manchester

“Do fundo do meu coração, eu sinto muitíssimo”, disse a cantora após a explosão que deixou pelo menos 22 mortos e 59 feridos

Redação/Rolling Stone EUA Publicado em 23/05/2017, às 10h48 - Atualizado às 12h25

Pessoas feridas em explosão durante show da cantora Ariana Grande, na Manchester Arena, Inglaterra
Rex Features/AP

O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque à bomba realizado no show da cantora Ariana Grande na última segunda, 22, em Manchester, Inglaterra. A explosão deixou pelo menos 22 mortos e 59 feridos na Manchester Arena.

O comunicado reivindicando o ataque foi publicado por meio de um dos canais de comunicação do EI nas redes sociais, indicando que “um dos soldados do califado colocou uma bomba no meio da multidão”. O grupo também ameaça cometer outros ataques.

A polícia anunciou ter apreendido um homem de 23 anos que estaria ligado ao ataque. A primeira-ministra Theresa May disse que a polícia já sabe a identidade do autor do atentado, que morreu ao detonar a bomba, mas ainda não tornou a informação pública.

A primeira-ministra ainda afirmou que o incidente é “sem dúvida” um “ato de terror” e que as ocorrências de terrorismo Grã-Bretanha estão altas, significando que outro ato de violência pode ocorrer. “Nós estamos trabalhando para estabelecer todos os detalhes do que está sendo tratado pela polícia como um assustador ataque terrorista”, ela disse. “Nossos pensamentos estão com as vítimas e as famílias daqueles que foram afetados.”

“É, obviamente, uma segurança tão boa quanto qualquer lugar nos Estados Unidos”, disse Wes Westley, presidente da empresa SMG, responsável pela Manchester Arena, em uma entrevista. “Mochilas não são permitidas. Bebidas são tiradas das pessoas. Você precisa passar por uma segurança estrita para entrar na arena.”

“Estamos trabalhando com as nossas contrapartes para obter informações adicionais sobre a causa da explosão, assim como a extensão dos ferimentos e das fatalidades”, o Departamento de Segurança Nacional dos EUA disse em um comunicado na última segunda, 22.

“Neste momento, não temos informações para indicar uma possível ameaça envolvendo casas de shows nos Estados Unidos. No entanto, o público pode perceber um aumento na segurança em espaços públicos e eventos, pois os oficiais tomaram precauções adicionais.”

Após o acontecimento, Ariana se pronunciou nas redes sociais: “Estou despedaçada. Do fundo do meu coração, eu sinto muitíssimo. Estou sem palavras.”

A Manchester Arena é a maior casa de shows fechada do Reino Unido e a segunda maior de toda a Europa, com uma capacidade de 21 mil pessoas. A arena fica localizada a cerca de três horas ao norte de Londres.

Ariana Grande, cantora pop de 23 anos de idade, está no meio da turnê internacional do disco Dangerous Woman, lançado em 2016 (ela, inclusive, tem shows agendados no Brasil este ano). A cantora de abertura, Bia, rapper de Boston, nos Estados Unidos, tuitou que está bem depois do incidente.