A estética retrô 1990 está de volta: Lady Gaga, Dua Lipa, Ariana Grande viajaram no tempo?

O pop dos últimos anos resgatou e fez um tributo para todo o conceito estético da época do disco e do dance pop

Malu Rodrigues Publicado em 17/06/2020, às 07h00

None
Charli XCX, Lady Gaga, Dua Lipa, Beyoncé, TLC, Justin Timberlake, Normani, Britney Spears e Ariana Grande (Fotos: Montagem/ Reprodução)

O pop dos últimos anos resgatou todo o conceito estético da época do disco e do dance pop. Artistas como SZA, Dua Lipa e Lady Gaga, Ariana Grande e Normani viajaram no tempo nas próprias músicas e nos visuais dos clipes oficiais para homenagear os anos 1990 e 2000.

Como um tributo as décadas passadas, as cantoras do gênero apostaram na estética retrô-futurista. A pegada nostálgica nos visuais dos vídeos deixou o trabalho delas ainda mais divertido e saudosista.

+++LEIA MAIS: Música retrô: Como o pop voltou no tempo com discos de Lady Gaga, Dua Lipa e entre outros?

A maioria delas nasceu na década de 1990 - Lady Gaga é de 1980. A influência de voltar no tempo e recuperar elementos desses anos parece, de alguma forma, ser uma tentativa para se conectar com o primeiro respiro e influência musical e visual que tiveram. 

Para as artistas, o estilo retrô 1990 - e 2000 - voltou com uma força inegável. Por isso, dissecamos a retomada da estética noventista e da virada do milênio em cada um dos projetos das cantoras pop. Confira:


Lady Gaga e a odisseia  noventista


O clipe de "Stupid Love", que faz parte do disco Chromatica, é uma odisseia de ficção científica com a estética retrô. Os detalhes neon rosa, os óculos de proteção, os bonés, as roupas, são todos elementos que anunciam a volta de Lady Gaga para os anos 1980 e 1990.

As fantasias com ombros exagerados, as botas com plataforma e os acessórios metalizados são detalhes incríveis. A coreografia do vídeo é outro destaque. Como não recordar das pistas de danças que se enchiam de gente que decorava passos específicos? 

+++ LEIA MAIS: Elton John e Lady Gaga: Como começou a amizade que já dura há uma década?

A própria história narrada no clipe lembra filmes das décadas passadas, como Mad Max com o futuro distópico.  


A nostalgia futurista de Dua Lipa

O segundo disco de Dua Lipa, Future Nostalgic, sedimentou a volta do pop aos anos 1980 e 1990 depois de alcançar o topo da Billboard UK na estreia em março. O álbum inteiro da cantora nos transporta para uma discoteca que nos faz dançar com a batida pop funk.

Um dos destaques do projeto é a faixa "Break My Heart". Se o ritmo pareceu familiar é porque ele realmente é. A canção tem interpolações de "Need You Tonight" (1987), da banda INXS.  Para além da guitarra, o vídeo da música parece ter saído direto das décadas passadas.

+++LEIA MAIS: 6 shows incríveis de artistas pop para assistir na íntegra: Billie Eilish, Dua Lipa e mais

Com muita purpurina, presilhas, blazers em tons pastéis vivos, saias curtas e meia-calça, toda a estética do clipe dirigido por Henry Scholfield é tão retro quanto a faixa. Podemos até fazer um paralelo com as roupas clássicas de Dua com as do ícone da moda do filme As Patricinhas de Beverly Hills (1995), Cher. O figurino da cantora poderia facilmente ter saído do longa norte-americano. 

No clipe, obviamente não podia faltar outros elementos das décadas passadas, como carros mais clássicos, até bola de chiclete e a própria pista de dança. Inclusive, a artista já deixou para os fãs uma coreografia incrível e viciante. 

+++ LEIA MAIS: Afinal, o que é ser diva pop em 2020? Lady Gaga e Taylor Swift se enquadram? [ANÁLISE]

Outro destaque do projeto da artista é "Physical". Dua lançou um vídeo alternativo para a música intitulado "Let's Get Physical Work Out Video". Nele, a cantora se apresenta como uma instrutora e ensina os espectadores a malharem enquanto dançam.

O clipe dirigido por Daniel Carberry é claramente inspirado nos vídeos de treinos famosos da década de 1980. Com maiôs, polainas, snickers brancos e shorts colados, as figuras do vídeo se mostram verdadeiros instrutores que sempre incentivam os alunos e avisam na hora da pausa da hidratação.

Os vários gráficos de neon e efeitos visuais em cores só deixam o projeto ainda mais temático e incrível. O cuidado em traduzir os principais elementos da década no clipe foi muito bem construído. Se você tem dúvidas, é só comparar o vídeo de Dua com a produção de Jane Fonda, dos anos 1980:


Referências da cultura pop com Ariana Grande


Ariana Grande lançou o clipe de "Thank U, Next" em 2018. O divertido clipe da cantora é inteiramente construído com base em referências da cultura pop dos anos 1990 e início dos anos 2000 que nos fazem reviver o passado próximo. 

Com direção de Hannah Lux Davis, o clipe é cheio de uma nostalgia reconfortante. Podemos encontrar cenas recriadas dos filmes Meninas Malvadas (2004), As Apimentadas (2000), De Repente 30 (2004) e Legalmente Loira (2001).

+++ LEIA MAIS: Justin Bieber e Ariana Grande despencam nas paradas - e a culpa, em partes, é de Lady Gaga

Pela letra da música, é coerente a escolha por longas de comédia romântica para acompanhar o desabafo pessoal e amoroso dela. A artista se empolgou nas referência e até colocou um pouco da música de Noviça Rebelde (1965) em "Thank U, Next".


Normani e a homenagem a artistas dos anos 1990 e 2000


Normani é o exemplo de artista pop que traduziu de maneira impecável a estética dos anos 1990 e início dos 2000. Existe algo mais retrô do que esperar para um clipe ser lançado na televisão em determinado horário?

A ex-integrante do girlband Fifth Harmony homenageou diversas artistas dessas décadas que marcaram a indústria pop. Até na própria roupa de Normani é evidenciado o tributo aos anos passados, com o escrito "1996".

+++ LEIA MAIS: Um ano após o triunfo de Billie Eilish na indústria do pop - para onde vamos?

A coreografia, os cenários, o piercing no umbigo, snickers brancos e as roupas são perfeitos exemplos da estética vintage. A quadra de basquete, por exemplo, é inspirada no mesmo espaço visto em " ...Baby One More Time", primeiro single de Britney Spears lançado em 1998. 

Os shorts curtos e o top cropped branco são referências diretas à Beyoncé, no clipe de "Crazy In Love", de 2013. As danças nas ruas em uma espécie de guerra com o pretendente amoroso relembram "I'm Real", de Jennifer Lopez, e "Dilemma", parceria entre Nelly e Kelly Rowland. A música de Normani é incrível, dançante e divertida, e o clipe é um show à parte. 


A máquina do tempo de Charli XCX e Troye Sivan

"Eu só quero voltar, voltar a 1999/Eu só quero voltar Cantar: Hit Me, Baby, One More Time/Quero voltar, quero voltar". É assim que começa a música de Charli XCX e Troye Sivan, intitulada "1999". Numa mistura de paródia e homenagem, a dupla não poupou referências e fez um tributo à indústria do entretenimento do final dos anos 1990.

Se no começo do clipe acompanhamos Charli XCX com um iPhone, depois só conseguimos lembrar e dar uma risada reconfortante do Nokia azul. Outros elementos dos anos 1990? De novo os tênis brancos, o jogo The Sims, um relógio Go-Back e outros.

+++ LEIA MAIS: Fomos a uma balada online (sim, elas existem) e contamos como isso acontece

O clipe também faz referência a músicos que se destacaram na época, como Justin Timberlake, TLC, Eminem, Backstreet Boys e Spice Girls, além de filmes como Titanic, A Bruxa de Blair e Matrix.

Por ser um tributo, o clipe abusou da estética dos anos 1990 sem dó. A tela verde, efeitos duvidosos (mas inovadores na época) e tipografia única marcam presença no vídeo engraçado e saudosista.


SZA com o compilado de estética noventista

Os anos 1990 já voltam com a participação de Justin Timberlake, ex-N' Sync, que marcou a trajetória das boybands no mundo. Ao lado de SZA, os dois trazem as baladas pop de volta e se divertem em um clipe brilhante - tanto no visual como na ideia.

Dois dos destaques do vídeo são: o uso da lente "olho de peixe" e o cenário que parece uma mistura de nave e uma bola de disco gigante. O clipe de 2020 só serviu para mostrar a aposta dos artistas pop em uma pegada retrô-futurista nostálgica e impossível de não gostar.


+++ A PLAYLIST DO RUBEL