Estômago e Meu Nome Não É Johnny são consagrados no Grande Prêmio de Cinema

Blockbuster sobre as peripécias de um traficante playboy leva mais estatuetas, mas as de melhor filme e direção vão para filme de baixo orçamento com João Miguel

Da redação Publicado em 15/04/2009, às 14h08

Selton Mello levou o troféu de melhor ator no Grande Prêmio de Cinema Brasileiro

Ver Galeria
(2 imagens)

A produção curitibana Estômago foi a grande vencedora entre os mais de 100 filmes que concorriam nas 25 categorias da sétima edição do Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, realizada na última terça, 14, no Rio de Janeiro.

Com a atriz Marília Pêra e o cineasta Daniel Filho fazendo as vezes de mestres de cerimônia, a premiação rendeu ao filme de Marcos Jorge (feito com baixo orçamento) cinco troféus Grande Otelo: filme de ficção, diretor, roteiro original, ator coadjuvante e melhor filme pelo voto popular.

Estômago traz João Miguel no papel do cozinheiro/presidiário Raimundo Nonato e se vende como "uma fábula nada infantil sobre poder, sexo e culinária".

Meu Nome Não É Johnny, maior bilheteria nacional de 2008 (foi o décimo filme mais assistido do ano e contou com mais de dois milhões de espectadores), ganhou em quantidade. Das seis estatuetas conquistadas pelo blockbuster, a mais importante foi para Selton Mello, melhor ator segundo júri formado pelos mais de 300 membros da Academia Brasileira de Cinema. No longa de Mauro Lima, ele interpretou o ex-traficante - aquele que não quer ser chamado Johnny - João Guilherme Estrela (presente na plateia do evento).

Os dois filmes foram líderes em indicações, ambos no páreo em 14 categorias.

O Grande Otelo de melhor documentário foi para Mistério do Samba, filme sobre a velha guarda da Portela dirigido por Carolina Jabor e Lula Buarque de Holanda e com produção da cantora Marisa Monte.

Pelo papel de Camila, alter-ego da blogueira/escritora gaúcha Clarah Averbuck, no filme Nome Próprio, Leandra Leal foi eleita melhor atriz.

Confira a lista de vencedores (em destaque) do Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro:

Melhor Longa-Metragem de Ficção

O Banheiro do Papa

Ensaio Sobre a Cegueira

Estômago

Linha De Passe

Meu Nome Não É Johnny

Melhor Longa-Metragem de Documentário

Café Dos Maestros

Condor

Juízo

O Mistério do Samba

Panair Do Brasil

O Tempo E O Lugar

Melhor Direção

Daniela Thomas e Walter Salles (Linha De Passe)

Fernando Meirelles (Ensaio Sobre A Cegueira)

Lais Bodanzky (Chega De Saudade)

Marcos Jorge (Estômago)

Mauro Lima (Meu Nome Não É Johnny)

Melhor Atriz

Cássia Kiss (Chega De Saudade)

Cláudia Abreu (Os Desafinados)

Darlene Glória (Feliz Natal)

Leandra Leal (Nome Próprio)

Sandra Corveloni (Linha De Passe)

Melhor Ator

Ary Fontoura (A Guerra Dos Rocha)

César Trancoso (O Banheiro Do Papa)

João Miguel (Estômago)

Selton Mello (Meu Nome Não É Johnny)

Stepan Nercessian (Chega De Saudade)

Wagner Moura (Romance)

Melhor Atriz Coadjuvante

Alice Braga (Ensaio Sobre A Cegueira)

Andréa Beltrão (Romance)

Clarisse Abujamra (Chega De Saudade)

Julia Lemmertz (Meu Nome Não É Johnny)

Zezé Motta (Deserto Feliz)

Melhor Ator Coadjuvante

Ângelo Paes Leme (Meu Nome Não É Johnny)

Babu Santana (Estômago)

Gael García Bernal (Ensaio Sobre A Cegueira)

Lúcio Mauro (Feliz Natal)

Paulo Miklos (Estômago)

Melhor Roteiro Original

Última Parada 174

O Banheiro do Papa

Estômago

Linha De Passe

Chega De Saudade

Melhor Roteiro Adaptado

Nossa Vida Não Cabe Num Opala

Ensaio Sobre A Cegueira

Nome Próprio

Onde Andará Dulce Veiga?

Meu Nome Não É Johnny

Melhor Longa-Metragem Infantil

O Garoto Cósmico

O Guerreiro Didi e A Ninja Lili

Pequenas Histórias

Melhor Longa-Metragem de Animação - Menção Honrosa

O Garoto Cósmico

Melhor Longa-Metragem Estrangeiro

4 Meses, 3 Semanas E 2 Dias

Desejo e Reparação

O Escafandro e a Borboleta

Onde Os Fracos Não Têm Vez

Vicky Cristina Barcelona

Melhor Direção de Fotografia

César Charlone (O Banheiro Do Papa)

César Charlone (Ensaio Sobre A Cegueira)

Mauro Pinheiro Jr. (Linha De Passe)

Toca Seabra (Estômago)

Uli Burtin (Meu Nome Não É Johnny)

Walter Carvalho (Chega De Saudade)

Melhor Direção de Arte

Cássio Amarante (Encarnação Do Demônio)

Cláudio Amaral Peixoto (Meu Nome Não É Johnny)

Cláudio Amaral Peixoto (Última Parada 174)

Jussara Perussolo (Estômago)

Marcos Pedroso (Chega De Saudade)

Tulé Peake (Ensaio Sobre A Cegueira)

Melhor Figurino

André Simonetti (Chega De Saudade)

Bia Salgado (Última Parada 174)

Cao Albuquerque (Romance)

Marisol Grossi (Estômago)

Reka Koves (Meu Nome Não É Johnny)

Renée April (Ensaio Sobre A Cegueira)

Melhor Maquiagem

Anna Van Steen (Romance)

Gabi Moraes (Linha De Passe)

Helena D`Araújo e Marilú Mattos (Meu Nome Não É Johnny)

Marcelino De Miranda (Estômago)

Micheline Trépanier (Ensaio Sobre A Cegueira)

Melhor Efeitos Visuais

André Waller, Renato Tilhe, Ricardo Gorodetcki E Tamis Lustre (Ensaio Sobre a Cegueira)

Kapel Furman (Encarnação do Demônio)

Marcelo Mm (Meu Nome Não É Johnny)

Marcelo Siqueira (Última Parada 174)

Renato Cavalcanti e Tatiana Machnicki (Estômago)

Melhor Trilha Sonora

Bid (Chega de Saudade)

Gustavo Santaolalla (Café dos Maestros)

Marisa Monte (O Mistério do Samba)

Paulo Sérgio Santos (Orquestra dos Meninos)

Wagner Tiso (Os Desafinados)

Melhor Trilha Sonora Original

Célio Balona, Lucas Miranda e Victor Mazarelo (5 Frações De Uma Quase História)

Fabio Mondego, Fael Mondego, Marco Tommaso e Mauro Lima (Meu Nome Não É Johnny)

Giovanni Venosta (Estômago)

Gustavo Santaolalla (Linha de Passe)

Marco Antônio Guimarães E Uakti (Ensaio Sobre a Cegueira)

Melhor Som

Alessandro Laroca, Armando Torres Jr, David Mccallum, Guilherme Ayrosa, Lou Solakofski (Ensaio Sobre a Cegueira)

Alessandro Laroca, Armando Torres Jr., Geraldo Ribeiro E João Godoy (Chega de Saudade)

Amando Torres Jr, François Wolf E George Saldanha (Meu Nome Não É Johnny)

Beto Ferraz, George Saldanha E Paulo Gama (Feliz Natal)

Bruno Tarriere, Gillaume Sciama E Miriam Biderman (Última Parada 174)

Francesco Grassi, Jean-Christophe Casalini e Maricetta Lombardo (Estômago)

Melhor Montagem de Ficção

Daniel Rezende (Ensaio Sobre A Cegueira)

Gustavo Giani E Lívia Serpa (Linha De Passe)

Idê Lacreta (Corpo)

Luca Alverdi (Estômago)

Marcelo Moraes (Meu Nome Não É Johnny)

Paulo Sacramento (Chega De Saudade)

Melhor Montagem de Documentário

Café Dos Maestros

Andarilho

Condor

O Mistério do Samba

Romance Do Vaqueiro Voador

Melhor Curta-Metragem de Ficção

Café Com Leite

Os Filmes Que Não Fiz

Muro

Os Sapatos de Aristeu

Trópico das Cabras

Melhor Curta-Metragem de Documentário

Dreznica

O Homem da Árvore

Ismar

Ocidente

Rapsódia do Absurdo

Melhor Curta-Metragem de Animação

Animadores

Dossiê Rê Bordosa

Moradores do 304

Passo