“Eu era bem ruim ao vivo. Estou me achando mais ou menos agora”, brinca Hélio Flanders, vocalista do Vanguart

O grupo apresentou o disco Muito Mais Que o Amor no último sábado, 31, no festival João Rock, em Ribeirão Preto

Lucas Brêda, de Ribeirão Preto Publicado em 03/06/2014, às 15h48 - Atualizado às 16h08

Vanguart
Lucas Brêda

Com um repertório baseado no disco mais recente, Muito Mais Que o Amor, o Vanguart levou o rock alternativo ao João Rock, no último sábado, 31, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. A banda tocou no palco Universitário – o menor do festival – e teve recepção surpreendente por parte de um público não tão acostumado aos shows do grupo de Cuiabá.

“Junta várias coisas: o fato de a gente não vir sempre, de não termos feito show deste disco aqui em Ribeirão e de ser um festival como esse, todo mundo vem com um clima muito bom”, disse o vocalista Hélio Flanders em conversa com a Rolling Stone Brasil logo após a apresentação da banda. “Tudo isso é o que faz ser um show diferente, um show especial”, completou. “A gente adora festival, essa coisa de massa”.

Nas apresentações da turnê de Muito Mais Que o Amor, o Vanguart tem se mostrado uma banda diversificada, com os integrantes se revezando em bandolim, gaita, trompete e guitarra slide, além dos básicos baixo, bateria, guitarra, violão e teclado. O grupo que despontava com o blues e folk na década passada encontrou identidade com um álbum amoroso e ensolarado, logo após a melancolia latina de Boa Parte de Mim Vai Embora (2011).

Melhor disco

“Eu acho que [Muito Mais Que o Amor] foi o melhor [disco do Vanguart]”, disse o baixista, vocalista e bandolinista Reginaldo Lincoln. “Foi nele em que a gente mais trabalhou e que a gente conseguiu o melhor resultado”. Lincoln, alvo dos gritos mais alvoroçados pela parte feminina da plateia, explicou: “Eu ouvia os outros discos e já logo sentia que isso ou aquilo poderia ter sido melhor. E, neste disco, eu estou satisfeito ainda”.

Por outro lado, Flanders e a graciosa violinista Fernanda Kostchak hesitam em escolher um álbum como o melhor do grupo. “Não tem melhor disco. Todos são diferentes, eu acho”, disse o vocalista, emendado em seguida por Fernanda: “Não divide o amor que você tem. São amores diferentes”.

Se Flanders prefere não eleger o melhor disco, para ele, o Vanguart nunca este tão bem ao vivo. Ele disse: “A gente gostou muito desse formato de show”. Levando em conta o aprendizado com o tempo na estrada, o vocalista – que durante a performance de “Mi Vida Eres Tu” intercala discursos irreverentes em espanhol – ainda brincou: “Eu era bem ruim ao vivo. Estou me achando mais ou menos agora”.

Se o grupo já está trabalhando em material novo? Todos são enfáticos em dizer: “Não”. “Esse disco saiu em outubro, a gente quer gravar um DVD dele ainda”, afirmou Flanders. “O Brasil é gigante. Temos que ir em muitos lugares ainda”. “Quarto disco? Até me cocei”, concluiu.