Ex-Angra, Edu Falaschi convida vocalista do Calcinha Preta para estreia da turnê Moonlight Celebration

O show acontece no dia 23 de janeiro em Recife

Redação Publicado em 14/01/2020, às 18h55

None
Edu Falaschi e Daniel Diau (Foto 1: Reprodução | Foto 2: Reprodução)

Edu Falaschi, ex-vocalista do Angra, anunciou um novo projeto para 2020: a turnê acústica Moonlight Celebration que passa por várias cidades brasileiras e o show de estreia do novo trabalho contará com a participação de Daniel Diau, vocalista da banda de forró Calcinha Preta, segundo a Coluna da Adriana de Barros, do UOL.

O primeiro show com a participação de Daniel acontece no dia 23 de janeiro, em Recife. Inclusive, o Calcinha Preta uma fez uma versão em português de “Bleeding Heart”, música do Angra, em 2003 e que integra o DVD da banda de forró gravado em Salvador.

+++LEIA MAIS: Cazuza, Sepultura e mais: 7 produções sobre a história de músicos brasileiros [LISTA]

E, agora no show, a dupla cantará as versões da música em inglês e português. Os ingressos já estão à venda aqui

O setlist dos shows traz músicas do período em que Edu esteve à frente do Angra - 2001 até 2012 -, além de canções de outros projetos que ele participou como Symbols, Almah e Cavaleiros do Zodíaco.

Veja abaixo as datas dos shows:

Janeiro

Dia 23: Teatro de Santa Isabel - Recife (PE)
Dia 24: Teatro Isba - Salvador (BA)
Dia 25: Theatro José de Alencar - Fortaleza (CE)
Dia 26: Theatro 4 de Setembro - Teresina (PI)

Fevereiro

Dia 14: Teatro Mãe de Deus - Londrina (PR)
Dia 15: Teatro Ademir Rosa Cic - Florianópolis (SC)
Dia 16: Teatro Municipal - Itajaí (PR)

Março

Dia 13: Teatro da Unip - Brasília (DF)
Dia 14: Teatro Puc - Goiania (GO)
Dia 15: Teatro Minas Clube - Belo Horizonte (MG)
Dia 19: Teatro Oi Casagrande - Rio de Janeiro (RJ)
Dia 20: Teatro Univap - São José dos Campos (SP)
Dia 21: Teatro Positivo Pequeno Auditório - Curitiba (PR)
Dia 22: Theatro Net - São Paulo (SP)
Dia 26: Teatro Iguatemi - Campinas (SP)
Dia 28: Teatro Unisinos - Porto Alegre (RS).


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'