Ex-Megadeth, David Ellefson detalha caso de vingança por pornografia em relatório policial

David Ellefson se encontrou com a polícia de Scottsdale, Arizona, para processar acusações contra a pessoa que vazou seus encontros sexuais online com uma adolescente de 19 anos

Kory Grow (via Rolling Stone EUA) Publicado em 08/06/2021, às 11h22

None
David Ellefson no Megadetn (Foto: Getty Images)

Novos detalhes surgiram sobre os incidentes que levaram o ex-baixista do Megadeth, David Ellefson, a abrir acusações de vingança por pornografia contra a pessoa que vazou vídeos comprometedores de suas interações sexuais online com uma fã.

Ellefson, baixista de longa data do Megadeth que se juntou à banda durante seus anos de formação, admitiu à polícia em um relatório obtido pela Rolling Stone EUA que ele estava fazendo sexo online com uma adolescente holandesa que havia gravado vídeos de seus encontros sem seu consentimento, de acordo com um relatório policial.

+++LEIA MAIS: Baixista David Ellefson é desligado do Megadeth após escândalo sexual

A moça compartilhou os vídeos com amigos e eles surgiram online com acusações de que o baixista estava assediando uma fã menor de idade. O Departamento de Polícia de Scottsdale, que está investigando o incidente, confirmou a idade da parceira de Ellefson como 19 anos. O músico está processando acusações contra a pessoa que vazou os vídeos online e não contra a sua parceira sexual.

No final das contas, o Megadeth demitiu Ellefson no final de maio. “Embora não saibamos todos os detalhes do que ocorreu, com uma relação já tensa, o que já foi revelado agora é o suficiente para tornar o trabalho conjunto impossível no futuro”, disse o vocalista Dave Mustaine em um comunicado.

O baixista disse à polícia que conheceu a mulher quando ele estava dando autógrafos na mesa de merchandise de um show em 2019, na Holanda. "Eles fizeram amizade e continuaram batendo papo nas redes sociais", diz o relatório. "A segunda vez que eles se encontraram pessoalmente foi na Holanda, no saguão de um hotel para tomar um café e um refrigerante. Ele acredita que foi em fevereiro de 2020. Ele afirmou que não houve contato físico e que eles apenas tiveram uma conversa. Ele afirmou que nunca houve qualquer contato físico sexual entre os dois." 

Após o segundo encontro com a mulher, Ellefson continuou conversando com ela nas redes sociais e suas interações se tornaram sexuais em julho ou agosto, quando cada um começou a se masturbar na frente do outro usando o Facebook Messenger. "Ele afirmou que eles tiveram cerca de quatro a cinco encontros de masturbação", diz o relatório. "O último encontro sexual online foi por volta de fevereiro de 2021. A parceira de Ellefson admitiu a ele que ela havia gravado de dois a três vídeos dele se masturbando sem seu consentimento ou conhecimento."

+++LEIA MAIS: Para ex-produtor do Megadeth, David Ellefson fez o que '90% dos músicos fazem’

No relatório, Ellefson afirmou que disse ao empresário da banda que a pessoa que vazou o vídeo o chamou de "um pedófilo". "Ele foi aconselhado por sua equipe a 'não fazer nada e ficar quieto' porque provavelmente ‘estouraria’”, diz o relatório. "A equipe o avisou que faria com que sua equipe de advogados investigasse." Mas as alegações logo se tornaram virais e, em duas horas, o usuário do Instagram postou um vídeo de Ellefson se masturbando sozinho. [Um representante da banda não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.]

"A parceira de Ellefson admitiu que compartilhou o vídeo com alguns amigos, mas não tinha certeza de como vazou para outras pessoas", diz o relatório. "Ela estava arrependida e concordou em enviar uma declaração nas redes sociais em sua conta do Instagram dizendo que tinha sido uma adulta voluntária e consentida durante o encontro sexual virtual mútuo."

Ellefson, então, postou a declaração dela e uma de sua autoria em 10 de maio, afirmando que as alegações de assédio eram falsas. “Ellefson afirmou que a fã não o extorquiu de forma alguma, então ele acredita que não é o autor das postagens nas redes sociais que fazem as acusações", diz o relatório. [Nem o advogado de Ellefson e nem a mulher em questão responderam imediatamente aos pedidos de comentário da Rolling Stone EUA].

+++LEIA MAIS: David Ellefson, ex-Megadeth, quer processar responsável por divulgar escândalo sexual

"Como você pode ou não saber, algumas conversas e interações privadas e pessoais surgiram online, divulgadas com má intenção por um terceiro que não estava autorizado a tê-las ou compartilhá-las", escreveu Ellefson [via Blabbermouth]. "Embora seja certamente embaraçoso, quero abordar o assunto da forma mais aberta e honesta possível. Por mais que não seja algo de que me orgulho, essas foram interações privadas e adultas que foram tiradas do contexto e manipuladas para infligir o máximo de dano à minha reputação, à minha carreira e à minha família."

"Eu sou a garota que as pessoas estão falando nas postagens sobre David Ellefson agora, e eu só quero contar o meu lado da história porque as pessoas estão compartilhando informações incorretas e a situação está saindo do controle sem que a verdade seja revelada”, escreveu a mulher.

"Sim, essas videochamadas aconteceram, mas fui eu que as iniciei e nunca fui menor de idade, sempre fui uma adulta consentida. Nada de impróprio aconteceu antes disso. Foi tudo consensual, não sou uma vítima e não fui nem um pouco assediada porque fui eu que o incentivei. Eu fui ingênua o suficiente para gravá-lo e compartilhar com um amigo sem a sua permissão. No final, tudo foi consensual e tudo online" completou ela. 

+++LEIA MAIS: Jason Newsted não se juntará ao Megadeth, confirma esposa do ex-baixista do Metallica

Em 14 de maio, Mustaine e o Megadeth informaram Ellefson que o estavam demitindo da banda; a declaração oficial deMustaine saiu publicamente 10 dias depois. Naquele mesmo dia, Ellefson fez um teste de detector de mentiras com a polícia de Scottsdale.

Ellefson comentou publicamente sobre o assunto no dia 26. "Recentemente, um vídeo muito privado foi postado ilegalmente na internet e falsas alegações foram feitas contra mim", disse em um comunicado à Rolling Stone EUA.

"As ações no vídeo foram entre dois adultos consentindos e foram gravadas sem o meu conhecimento. Estou trabalhando com o Departamento de Polícia de Scottsdale na investigação das acusações de vingança por pornografia contra a pessoa que postou esses vídeos. Além disso, meus advogados estão preparando um processo por difamação contra essa pessoa. Essa pessoa será processada em toda a extensão da lei."

O Megadeth dará início a uma turnê sem Ellefson no dia 20 de agosto. Eles ainda não anunciaram quem o substituirá.


+++ URIAS: 'AS PESSOAS ESTÃO COMEÇANDO A ENTENDER MAIS DE MIM' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL