Ex-namorado da filha de Whitney Houston é considerado legalmente responsável pela morte da jovem

Nick Gordon terá que pagar US$ 36 milhões à família de Bobbi Kristina Brown

Rolling Stone EUA Publicado em 18/11/2016, às 13h56 - Atualizado às 15h22

Galeria - Morte - Bobbi Kristina Brown
AP

O juiz responsável pelo caso da morte de Bobbi Kristina Brown decidiu que o ex-namorado dela, Nick Gordon, deve pagar US$ 36 milhões à família de Bobbi.

Em setembro deste ano, o tribunal considerou Gordon “legalmente responsável” pela morte da filha de Whitney Houston e Bobby Brown, depois que ele não esteve presente em duas audiências para responder por morte por negligência.

A família de Bobbi Kristina inicialmente pediu US$ 50 milhões no processo civil, que afirmava que Gordon “deu à Bobbi Kristina um coquetel tóxico que a deixou inconsciente e depois a deixou de barriga para baixo em uma banheira cheia de água” em janeiro de 2015; ela morreu seis meses depois, em 26 de julho.

LEIA TAMBÉM

Retrospectiva 2015: artistas e personalidades que perdemos ao longo do ano

Bobby Brown dá a primeira entrevista após a morte da filha, Bobbi Kristina

Bobbi Kristina, filha de Whitney Houston, morre aos 22 anos

A família afirmou que Gordon fez isso como “parte de um plano para controlar Bobbi Kristina e se beneficiar do dinheiro dela”. Gordon nunca foi acusado de algum crime relacionado à morte de Bobbi Kristina, mas um representante da Fulton County District Attorney, escritório de advocacia, disse à Associated Press que o caso ainda está sob investigação.

Quando Gordon falhou em comparecer às audiências do processo civil em setembro, o juiz considerou que tudo que a família de Bobbi Kristina afirmou sobre Gordon foi “confessado por omissão”.

“Havia uma necessidade urgente, na minha concepção, de obter justiça por Bobbi Kristina Brown e é por isso que eu aceitei o caso. Nós pretendemos ir atrás, com todo o vigor, da resolução completa do julgamento”, o advogado David Ware, da família de Bobbi Kristina disse em declaração. “Nós esperamos que de alguma forma isso permita que a família de Krissy continue sua busca por paz.”

Gordon não estava presente na decisão, feita na última quinta, 17, e não contratou advogados para defendê-lo no processo civil.