Exclusivo: Del Marquis, do Scissor Sisters, volta a se unir a quarteto vocal em Living in a Dark World

Disco é o segundo do guitarrista da banda nova-iorquina com o projeto Slow Knights

Lucas Borges Publicado em 27/06/2015, às 12h03

Guitarrista Del Marquis
Reprodução

Del Marquis tirou férias da guitarra no Scissor Sisters mais uma vez para emplacar o recém-lançado Living in a Dark World, segundo disco dele com o projeto Slow Knights.

Assim como em Cosmos, estreia do Knights, neste novo trabalho os cantores Rod Thomas, também conhecido como Bright Light Bright Light, Xavier, Mykal Kilgore e Bridget Barkan marcam presença acompanhando o líder e produtor do grupo.

Queens of the Stone Age alcançou o topo das paradas com disco que tem participação de Josh Homme, do Scissor Sisters.

Segundo Marquis, o quarteto dá o tom ao álbum, que se distancia da disco music do Sisters para dialogar com soul e R&B. “As vozes tão diferentes desses quatro cantores me levam para lugares que o Scissor Sisters não pode”, explica o guitarrista à Rolling Stone Brasil. “O disco é inspirado pela voz de cada um deles, eu sentei com cada cantor por algumas semanas e trabalhei em ideias, me inspirei neles”.

Especialmente para o lançamento no Brasil, ele convidou o produtor musical Adriano Cintra para assinar um remix oficial da faixa "Candy Sugar Rush", divulgada com exclusividade pelo site da Rolling Stone Brasil neste sábado, 27. Ouça:

O reforço dos vocalistas, contudo, também tem um lado negativo. Sem apoio de um selo de peso, Del Marquis considera ser absolutamente inviável viajar em turnê com um conjunto tão numeroso. “É muito caro. Essa é a parte triste disso, adoraria, mas não penso em sair em turnê”.

O nova-iorquino só cogita mudar de ideia quando o tema Brasil vem à tona. Ele é habitué do país, tocou com o Scissor Sisters em 2010, em São Paulo, quando teve aulas de português e se apaixonou pela culinária nacional, pela irreverência dos locais, por café e por aquele que hoje é seu marido.

“Conheço moqueca capixaba, moqueca da Bahia e comida mineira. Amo o quão casual a amizade é aí, o universo social. No Brasil, as pessoas aparecem na sua porta, tocam a campainha e tem cinco amigos do lado de fora esperando. Adoro Gal Costa, gosto do tropicalismo, de Caetano Veloso, gosto de Alcione, apesar de saber que ela é um pouco brega”, ele revela, rindo. “Mas eu gosto bastante dela”.

“Queria ter dinheiro para tocar aí. Apesar de que agora está um pouco mais barato. Eu não sei, é um lugar para o qual eu amaria levar o pessoal da banda”.

Enquanto não se decide, Del Marquis, que diz não ter plano de gravar com o Scissor Sisters tão cedo, deve se apresentar com Living in a Dark World pelos Estados Unidos.