Exclusivo - Letrux lança clipe de Amoruim e vive a catarse do desamor; assista

A música integra o disco Letrux em Noite de Climão

Fernanda Talarico Publicado em 06/11/2018, às 18h45

None
Letrux no clipe da música Amoruim (Foto: Reprodução)

A Letrux lançou nesta terça, 6, o clipe de “Amoruim”, música do disco Letrux Em Noite de Climão. A direção é de Felipe Morozini e Gabriel Azevedo.

“'Amoruim' é uma música que fiz em 2014, em parceria com Thiago Vivas, meu parceiro romântico”, conta Letícia Novaes,  a Letrux.

“Uma música muito forte. Gosto muito da letra porque fala tudo o que realmente penso. Acho mesmo que até o amor ser bom, ele é ruim. É tudo muito efêmero, as pessoas querem que a paixão se resolva em um dia, em uma semana. Muita gente tem esse desejo pelo amor à primeira vista... Até o amor chegar na luz você pode transitar por lugares muitos sombrios e a música fala disso."

A coreografia ficou por conta de Elisabete Finger, que deixou Letrux de ponta cabeça: “Quando Felipe o [Morozin] e o Gabriel [Azevedo] me pediram uma ação em que fosse visível uma transformação no rosto da Letícia, minha proposta foi de que invertêssemos a hierarquia do corpo, colocando sua cabeça abaixo do nível do coração e do sexo, deixando que sexo e coração pesassem sobre ela, modificando o fluxo de circulação sanguínea”, explica.

“Nessa imagem ela canta de cabeça para baixo, com as veias do rosto saltando, os olhos inchando e enchendo de água, a saliva escorrendo para dentro do nariz, o peso da língua invertido. É um outro corpo, que responde a lógicas menos racionais e mais sensíveis”, segue a coreógrafa. 

As gravações, tanto do clipe, como da música "Amoruim", foram intensas para Letux: “Quando fui gravar, tive vontade de tirar a blusa, nunca tinha acontecido isso. Fui invadida por uma sensação de liberdade, de estar ali de peito de fora, sozinha no estúdio. Chorei muito gravando. Chorei tanto que a produtora e o produtor me pediram um outro take, desta vez sem choro. No final, escolhemos a versão do choro", desabafa a cantora.

"Gravar o clipe foi uma catarse, mexeu muito comigo o trabalho da Elisabete. Despertou uma coisa muito forte no meu corpo. E sou muito racional, muito cerebral e chorar pra mim é pensar em alguém ou em uma situação. Naquele dia, não. Chorei pelo corpo. O corpo que é nosso amigo que  esquecemos. Foi um dia de muita força, muita curiosidade física. Foi bom não chorar aquele dia pensando em um amor ruim. Foi bom chorar pensando em uma coisa mais anatômica: o corpo, o osso, o líquido, a pele...”, encerrou.

O clipe, realizado em parceira com a marca basico.com, apresenta Letícia como sua persona Letrux, com fores fortes, tal qual o vermelho intenso tão característico nos figurinos dela. 

"Uso o vermelho porque é drama, porque é da paixão, amoroso, porque é do nosso sangue, nossa luta", explica ela. "Meu disco é muito passional, não dava pra ser azul, nem amarelo". Uma série de peças no mesmo tom será lançada pela marca, inspirada na cantora.

Assista ao vídeo exclusivo abaixo: