Exclusivo: Tom Zé comenta a genialidade de Torquato Neto em documentário

O depoimento é um extra do filme Torquato Neto - Todas as Horas do Fim

Redação Publicado em 28/02/2018, às 17h05 - Atualizado às 18h47

Tom Zé Torquato Neto
Reprodução

Em vídeo exclusivo, o músico Tom Zé comenta a genialidade do amigo e compositor Torquato Neto, e recorda da primeira vez que ouviu “Geléia Real”, sucesso da época da Tropicália. O depoimento é um aquecimento para o lançamento do longa Torquato Neto - Todas as Horas do Fim, que estreia dia 8 de março, e é o primeiro documentário inteiramente dedicado à vida e obra do poeta piauiense.

A direção fica por conta do pesquisador musical Marcus Fernando e do cineasta Eduardo Ades. “A ideia do filme é jogar uma luz sobre a vida e a obra desse personagem tão importante - e ao mesmo tempo ainda tão obscuro - da cultura brasileira”, conta Fernando, sobre o primeiro longa em que participa como diretor. Ades, que já possui experiência no ramo cinematográfico, completa dizendo que “Torquato Neto é um personagem imenso e se revelou um desafio gigantesco para a montagem do filme. A gente percebeu que só daria conta de trazer a verdade dele se o colocasse em primeiro plano mesmo, como protagonista do filme. E assim evitando que o filme se tornasse frio e o Torquato, apenas um assunto. Para isso, selecionamos dezenas de textos e músicas dele – era preciso que ele falasse em todas as sequências, sobre todos os assuntos que abordamos.”

As composições da época da Tropicália estão presentes na nossa lista dos 100 maiores momentos da música brasileira

O poeta, que atuou em diversas áreas, marcou forte presença na poesia, na música, no cinema, no jornalismo e na produção cultural em geral. Torquato iniciou uma carreira musical na década de 1960, compondo ao lado de nomes como Caetano Veloso e Gilberto Gil, com os quais se juntaria, mais para frente, no movimento Tropicália, criando os clássicos da música nacional “Geléia Geral” e “Marginália II” (ambas em parceria com Gil), e também “Mamãe, Coragem” (com Caetano). No cinema, atuou como o protagonista do curta “Nosferato no Brasil“, dirigido por Ivan Cardoso, e logo em seguida rodou “O Terror da Vermelha”, estreia de Torquato como diretor.

Veja abaixo o depoimento de Tom Zé e também o trailer do documentário.