Festival do Rio 2012: Gonzaga – de Pai Para Filho dá início ao evento

Saiba quais são os destaques da programação, os homenageados e os títulos mais aguardados

Paulo Gadioli, do Rio de Janeiro Publicado em 28/09/2012, às 19h01 - Atualizado em 01/10/2012, às 10h37

Gonzaga - De Pai Pra Filho
Divulgação

Começou oficialmente na última quinta, 27, o Festival do Rio 2012. Gonzaga – de Pai Para Filho (foto), novo longa de Breno Silveira (2 Filhos de Francisco), foi responsável pela sessão de abertura do evento que, nesta edição, irá trazer mais de 400 filmes à cidade maravilhosa. No decorrer das próximas duas semanas, os espectadores poderão conferir vencedores de renomados festivais internacionais, mostras temáticas, convidados de diferentes cantos do mundo, retrospectivas e até mesmo exibições ao ar livre na praia de Copacabana.

Premiados no festival de Berlim, César Deve Morrer (Irmãos Taviani) e Apenas o Vento (Benedek Fliegauf) integram a programação. Post Tenebras Lux, longa que rendeu a Carlos Reygadas o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes, deve chamar atenção dos cinéfilos, assim como o sul-coreano Pietá, eleito recentemente Melhor Filme no Festival de Veneza. Indomável Sonhadora, vencedor do Grande Prêmio do Júri em Sundance, também chega precedido por excelentes críticas.

Mesmo não coroados com prêmios, longas como Argo (Ben Affleck), Holy Motors, (Leos Carax), As Sessões (Ben Lewin) e Robot and Frank (Ben Schreier) conseguiram boa recepção da crítica e do público nos festivais por que passaram, sendo assim boas pedidas para os frequentadores.

Os brasileiros mostram sangue novo no Festival. Seja competindo na Première Brasil, mostra Novos Rumos, ou fora de competição, realizadores mais conhecidos do público, como Breno Silveira, Anna Muylaert e José Eduardo Belmonte dividem espaço com novos talentos, como Kléber Mendonça Filho, Bernard Attal e Matheus Souza.

Países em destaque

Embora longas exibidos em festivais franceses, italianos e alemães dominem a programação, Inglaterra e Portugal roubam os holofotes no Festival do Rio. A primeira receberá uma mostra especial, a Foco UK, que terá obras como London – The Modern Babylon (Julien Temple) e Broken (Rufus Norris). Além disso, será realizada uma sessão gratuita e ao ar livre de Pleasure Garden, primeiro filme de Alfred Hitchcock, nas praias de Copacabana.

Portugal, por sua vez, será representado tanto por talentos pouco conhecidos por aqui, como João Pedro Rodrigues e Teresa Villaverde, quanto por seu expoente máximo: Manoel de Oliveira, tema de uma interessante mostra de curtas.

Diretores veteranos, inclusive, marcam forte presença nesta edição. William Friedkin (Killer Joe – Matador de Aluguel), Francis Ford Coppola (Twixt 3D), Stephen Frears (Lay The Favorite) e Mike Leigh (Mais Um Ano) são apenas alguns exemplos. O norte-americano Spike Lee, por sua vez, chega logo com dois projetos: Verão em Red Hook e Bad 25, documentário sobre os bastidores das gravações do célebre disco de Michael Jackson.

Música, sangue e Surf

Os cinéfilos apaixonados por música podem ficar tranquilos, pois o filme sobre os 25 anos do disco de Jackson não será a única vez em que a música domina as telas. Dentro da mostra Midnight Movies temos quatro subdivisões: Surf, Terror, Music e Midnigt Movies.

Na parte musical do projeto, nomes como Bob Marley, Neil Young, Paul Simon e David Williams terão suas vidas destrinchadas em documentários. Além da mostra musical à meia-noite, a Première Brasil – Retratos também pode interessar aos entusiastas da boa música, já que terá filmes e documentários com base em nomes como Jards Macalé, Jorge Mautner e Siba.

Na parte de terror, os fãs devem ficar satisfeitos, pois chegará ao Brasil, com meses de atraso em relação ao lançamento no exterior, O Segredo da Cabana, um dos mais bem recebidos longas do gênero nos últimos anos. O longa conta com roteiro de Joss Whedon, diretor de Os Vingadores.

Filmes como Possessão (Ole Bornedal) e Os Erros do Corpo Humano (Eron Sheean) abrilhantam os selecionados, mas, tratando-se de horror ou cinema de gênero, é difícil prestar atenção em algo que não a mostra do grande homenageado deste ano: John Carpenter.

O Festival do Rio trará uma retrospectiva completa do diretor, passando desde seu passado no cinema de baixo orçamento, com a ficção-científica Dark Star, até Aventureiros do Bairro Proibido, Enigma do Outro Mundo (recentemente refilmado), Eles Vivem, dentre muitos outros clássicos do gênero. Imperdível.

O Festival do Rio acontece de 27 de setembro a 11 de outubro. Acompanhe a cobertura completa no site da Rolling Stone Brasil.