Festival do Rio 2013: Antologia O ABC da Morte é sanguinolenta, cômica e cansativa

Grupo variado de diretores apresenta seus curtas, cada um baseado em uma letra do alfabeto

Paulo Gadioli, do Rio de Janeiro Publicado em 28/09/2013, às 12h39 - Atualizado em 01/10/2013, às 19h27

ABC da Morte
Divulgação

Adoradas por fãs do cinema de gênero, as antologias de horror voltaram a ganhar força nos últimos anos. V/H/S/, de 2012, mostrou uma coleção de pequenos curtas no estilo found-footage e reacendeu o interesse no estilo, que agora volta a aparecer no ambicioso O ABC da Morte. Como o próprio nome indica, cada letra do alfabeto serve de inspiração para um filme macabro, resultando em um conjunto desigual, porém divertido.

Contando com 26 curtas, as disparidades de qualidade são grandes. Entre os destaques estão alguns nomes conhecidos do cinema de horror e ficção cientifica, como o espanhol Nacho Vigalondo, responsável pela abertura, Ti West, queridinho do horror independente nos Estados Unidos, Ben Wheatley, britânico com um afiado humor negro, e Srdjan Spasojevic, do polêmico A Serbian Film.

Trata-se de um seleto grupo que engloba algumas mentes talentosas, e outras aparentemente apenas perturbadas, mas que, unidas, devem deixar o espectador satisfeito. Com tamanha variedade de nacionalidades, o longa conta com um pouquinho de tudo: gore, violência, sangue, perversões sexuais, humor negro, animações e todo tipo de bizarrice.

No campo das maluquices, os japoneses ganham com folga. Noboru Iguchi, responsável por filmes como Dead Sushi e Zombie Ass: Toilet of the Dead, utiliza a letra F como base para um curta que toma rumos inesperados e deve permanecer na memoria do público por um bom tempo. Baseado na letra Z, Yoshihiro Nishimura não fica atrás e fecha a antologia com intensidade.

O ABC da Morte é uma experiência por vezes desconfortável, perturbadora e, infelizmente, desigual. Uma continuação já esta prevista, com o retorno de alguns diretores e adição de outros novos. Para essa sequência, foi aberto um concurso em que o vencedor terá seu curta incluído no produto final. Caso tenha alguma ideia macabra envolvendo a letra M, aí está uma bela chance de tirar a câmera do armário.

Saiba quais são os horários de exibição de O ABC da Morte no Festival do Rio:

TER (1/10) - 15:20 - Est Vivo Gávea 4

TER (1/10) - 22:00 - Est Vivo Gávea 4

SAB (5/10) - 16:00 - Estação BarraPoint 1