Pulse

Festival MPB: Caetano Veloso faz show irretocável e incendeia o público

Evento ainda contou com apresentações de Lenine, Ana Carolina e Seu Jorge

Luciana Rabassallo, do Recife Publicado em 15/12/2014, às 15h18 - Atualizado em 16/12/2014, às 12h53

Caetano Veloso faz show no Festival MPB

Ver Galeria
(3 imagens)

O clima era de total descontração e encontro entre amigos nos bastidores do Festival MPB, que voltou ao Centro de Convenções do Recife, em Olinda, na tarde deste domingo, 14. A serenidade e a alegria dos artistas foram refletidas no público, formado por aproximadamente oito mil pessoas, que lotou as dependências da arena montada exclusivamente para o evento.

Entre os convidados, Ana Carolina e Seu Jorge, que lançaram em 2005 o álbum Ana & Jorge, que vendeu milhares de cópias e rendeu uma turnê de mesmo nome. Além deles, havia Maria Gadú e Caetano Veloso, que colaboraram em Maria Gadú e Caetano Veloso - Multishow Ao Vivo, que chegou às lojas no formato CD e DVD em 2011.

Extremamente organizado para uma primeira edição, o Festival MPB promete retornar ao Recife em 2015 e, se tudo der certo, ampliar o evento para cidades como Brasília e São Paulo. Destaque nos dois dias, o público pernambucano provou que é apaixonado pela música popular brasileira e a profecia dos idealizadores Carla Bensoussan, Flora Gil, Juliana Cavalcanti e Augusto Acioli se consolidou.

O evento surgiu como uma forma de suprir a carência do público local para eventos que priorizam a MPB. Recife foi escolhida para abrigar o festival após a pesquisa Tribos Musicais, do Ibope, ser divulgada. No Brasil, 47% dos entrevistados dizem fãs de MPB, enquanto na capital pernambucana, o índice sobe para 61%. A cidade é a terceira colocada no ranking, ficando atrás apenas de Salvador, com 70%, e Rio de Janeiro, com 66%.

O grande nome do domingo, como já era esperado, foi Caetano Veloso. Aos 72 anos, o músico baiano exala uma vitalidade invejável quando está no palco. Com a turnê do CD e DVD Multishow ao Vivo - Caetano Veloso Abraçaço, Caê está na estrada desde 2013 sem aparentar cansaço. Ao som de “A Bossa Nova é Foda”, ele entrou em cena e arrancou gritos da plateia.

Acompanhado pela banda Cê, formada por Pedro Sá (guitarra), Ricardo Dias Gomes (baixo) e Marcelo Callado (bateria) - todos com menos da metade da idade de Caetano - o cantor foi classificado como 'moderninho' pela mídia especializada ao lançar o primeiro álbum da trilogia - composta por (2006), Zii e Zie (2009) e Abraçaço (2013) – em parceria com um grupo de rock. Oito anos se passaram e a certeza de que a junção de Caetano aos “jovens” músicos não foi uma tentativa desesperada de rejuvenescer a obra dele, mas uma acertada parceria que resultou em um material relevante.

No repertório, o clássico instantâneo “Estou Triste” vale o ingresso. Em “Homem”, canção em que descreve a inveja dos múltiplos orgasmos femininos, Caetano corre pelo palco e faz gestos obscenos com as mãos. Na animada “O Império da Lei”, as conhecidas palmas descompassadas "marcam" o ritmo, enquanto o refrão é reproduzido na íntegra pelos atentos fãs.

Mas não só de novidades é feito o show. Clássicos como “Eclipse Oculto” e “Reconvexo” - com destaque para a competente banda Cê que acelera e desacelera o compasso sempre de forma coesa - também estão no setlist. Em "Leãozinho", Maria Gadú fez um dueto com Caetano. Para encerrar, vieram “Você Não Entende Nada”, “Baby” e “Tieta”. Caetano saiu de cena ovacionado pelos fãs.

O Homem dos Olhos de Raio X

Com dez discos autorais e ganhador de cinco prêmios Grammy Latino, o recifense Lenine foi o encarregado por iniciar os trabalhos do palco Recife no segundo dia do Festival MPB. O músico selecionou hits que marcaram a trajetória dele, como “Paciência” e “Jack Soul Brasileiro”.

No formato voz e violão, a apresentação combinou perfeitamente com o clima preguiçoso do ensolarado domingo no Recife. “Paciência”, hit do disco Na Pressão (1999), e “A Rede”, de MTV Acústico – Lenine (2006), ganharam um tom ainda mais intimista.

Prata da Casa 2

Nena e Ylana Queiroga, mãe e filha, fizeram um show preparado exclusivamente para o festival, compartilhando canções de autoria das duas e de compositores pernambucanos que elas admiram. A apresentação foi produzida e dirigida por Yuri Queiroga, filho de Nena e irmão de Ylana.

Vanessa Oliveira e os integrantes da banda Mamelungos (Luccas Maia, Weré Lima, Thiago Hoover e Peu Lima), que tem grande influência do grupo Novos Baianos, apresentam o projeto “Besta é Tu”. Nesse show, os artistas montaram repertório baseado na obra dos Novos Baianos, como “A Menina Dança”, “Acabou Chorare” e “Tinindo Trincando”.

Festa da periferia

O músico carioca Seu Jorge e colocou o público para dançar com as canções o disco Músicas para Churrasco (2011). O repertório é uma mistura de samba, funk e groove, definido pelo músico como “ideal para animar aquela festa na laje”. Entre os destaques estão os hits “Seu Gonça”, “Amiga da Minha Mulher” e “Dia de Comemorar”. Em grande estilo, o cantor encerrou a primeira edição do Festival MPB no Recife e deixou o público com “gostinho de quero mais”.