Fiasco de crítica, Cats pode ter um prejuízo astronômico de US$ 100 milhões; entenda

A adaptação do musical da Broadway estreou nos cinemas brasileiros no dia 25 de dezembro

Redação Publicado em 30/12/2019, às 09h44

None
Taylor Swift em Cats (Foto: Divulgação / Universal)

Cats foi uma das piores estreias da história do cinema e pode dar um prejuízo estimado entre US$ 71 milhões a US$ 100 milhões para a Universal Pictures, segundo o site The Wrap.

A adaptação do musical da Broadway, dirigida por Tom Hooper, estreou dia 20 de dezembro nos Estados Unidos e arrecadou US$ 6,62 milhões no primeiro final de semana. E após dez dias de exibição, o longa-metragem conseguiu acumular apenas US$ 38,4 milhões nas bilheterias mundiais.

+++ LEIA MAIS: Cats, Astro Boy e mais: as 20 piores estreias da história do cinema [LISTA]

Apesar do elenco com nomes de peso, como Taylor Swift, Judi Dench, Idris Elba, Jennifer Hudson, Jason Derulo e outros, a produção receberá no total US$ 40 milhões em bilheterias domésticas e, se tiver sorte, alcançará US$ 100 milhões nas bilheterias mundiais, segundo especialistas.

O resultado não é nada positivo se considerarmos o orçamento de US$ 95 milhões, que não inclui os valores gastos com marketing. 

Neste cenário, Cats ficará mais de 75% abaixo do valor arrecadado pela produção da Fox, O Rei do Show, e  terá o equivalente a um quarto da bilheteria do filme de sucesso da Lionsgate, La La Land.

+++ LEIA MAIS: Após críticas destruidoras, Cats será lançado com “efeitos visuais aprimorados”

Antes mesmo da estreia, a internet já lançava críticas ao filme, principalmente por causa do uso do CGI, que transformou os atores em criaturas metade gatos, com orelhas e corpos cheios de pelos, e metade homens, com mãos, pés e rostos humanos.

A repercussão negativa fez com que o filme fosse retirado pela própria empresa dos indicados para o Oscar, no site "Para Sua Consideração", e removido da plataforma de streaming da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'