Filho de imigrantes, Eddie Van Halen precisou superar racismo na infância: 'Um ambiente horrível'

Um dos maiores guitarristas da história, Eddie Van Halen teve uma infância difícil nos Estados Unidos

Vitória Campos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 29/06/2021, às 18h13

None
Eddie Van Halen (Foto: Ethan Miller / Getty Images)

Após a morte em 2020, Eddie Van Halen deixou milhares de fãs e um legado de um dos maiores guitarristas do mundo. Mesmo com tamanha fama durante a fase adulta, o astro teve uma infância difícil na qual viveu em um “ambiente racista.”

Segundo o Cheat Sheet, o parceiro de banda e amigo de Van Halen, David Lee Roth, contou, em entrevista à Marc Maron, sobre as dificuldades e o racismo sofrido pelo astro durante a infância, antes de se tornar uma estrela do rock. 

+++ LEIA MAIS: Coronavírus ‘não deu chance’ para Eddie Van Halen se recuperar de câncer, desabafa filho do guitarrista

Van Halen era filho de imigrantes holandeses e indonésios, e isso gerou muito preconceito quando o astro se mudou para a Califórnia, EUA, aos oito anos. “Foi um grande negócio. Esses garotos cresceram em um ambiente racista horrível até quando eles realmente tiveram que deixar o país,” contou Roth

“Eles vieram para a América e não falavam inglês como primeira língua no início dos anos 1960. Então esse tipo de faísca, esse tipo de situação, isso é profundo,” acrescentou. 

+++ LEIA MAIS: Quais eram os planos do Van Halen para turnê de despedida?

Posteriormente, Van Halen conheceu um grupo de amigos afro-americanos, e revelou como eles foram os únicos a acolhê-lo durante a juventude. Em entrevista, o astro detalhou como era apoiado pelos negros e agredido pelos brancos.


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL