Pulse

Filho de Trump afirma que pai não é racista por permitir a amizade com Michael Jackson

A família do presidente era bem próxima do Rei do Pop

Redação Publicado em 06/11/2019, às 16h07

None
Trump e Michael Jackson (Foto: Reprodução/Twitter)

No novo livro do filho de Donald Trump, Triggered: How the Left Thrives On Hate and Wants to Silence Us (em tradução livre, Provocado: como a esquerda se alimenta do ódio e quer nos silenciar), Trump Jr. afirmou que o pai não é racista porque permitia que a família fosse amiga de Michael Jackson.

+++LEIA MAIS: “Michael Jackson da Espanha", Sergio Cortés viraliza com vídeos imitando o cantor

"Dadas todas as coisas de que meu pai foi chamado, particularmente um ‘racista’, me parece bem estranho que ele deixaria seu filho tirar férias com um homem negro ou andar com o Michael Jackson, não parece? Se ele é um racista, ele não é muito bom nisso", escreveu ele.

O livro foi lançado nesta terça, 5. Nele, Trump Jr. tenta explicar algumas histórias que envolvem o pai e ele acredita ser "injusto".

+++ LEIA MAIS: Elton John lembra de Michael Jackson como "uma pessoa perturbadora" em autobiografia

Vale lembrar que de fato, a amizade entre Trump e Jackson era antiga. Em 2015, um tuíte do atual presidente diz: "Michael era muito mal interpretado – um grande talento."

Veja o tuíte:

Ainda, quando Michael Jackson foi acusado de pedofilia, a família do presidente o defendeu. Ivana Trump, ex-esposa do presidente, publicou no livro dela em 2017: "Eu nunca acreditei nas acusações de que ele teria molestado aquelas crianças. Não existe nenhuma chance dele ter machucado alguém."