Jackie Chan, Jet Li e John Woo estarão em Jian Guo Da Ye

Superprodução convocou grandes nomes do cinema chinês para épico em comemoração ao aniversário de 60 anos da Revolução Chinesa

Da redação Publicado em 05/09/2009, às 00h36

Os maiores nomes do cinema chinês da atualidade estarão em Jian Guo Da Ye (em chinês, algo como "a fundação de uma república"), épico que vai comemorar os 60 anos da Revolução Chinesa.

Faces conhecidas em Hollywood, como os atores Jackie Chan (da franquia A Hora do Rush), Jet Li (Os Mercenários) e a atriz Zhang Ziyi (Memórias de uma Gueixa), farão pequenas cenas no filme. Outros no cast serão os diretores John Woo (A Outra Face), Stephen Chow (Kung-fusão, em que também atua) e Chen Kaige (Adeus, Minha Concubina, Palma de Ouro em Cannes em 1993).

De acordo com a agência de notícias Associated Press, Woo aparece apenas no trailer. O filme será lançado na China no próximo dia 17, duas semanas antes do aniversário da revolução capitaneada por Mao Tse-Tung, que pôs o país oriental nos trilhos comunistas da URSS, em plena Guerra Fria.

Na maioria dos casos, a trupe estrelada não se demorará mais do que poucos segundos em tela. Chan, por exemplo, interpreta um jornalista, que sequer nome recebe nos créditos. Com Ziyi é a mesma coisa, só que ela viverá uma partidária. Kaige, por sua vez, encarna um inimigo da revolução.

Huang Bin, agente de Kaige, afirmou que sua cliente não parece se incomodar com o pouco tempo de tela. "Todo ator e todo diretor se sentirá bastante honrado se tomar parte no filme."

De verve ufanista, a superprodução deverá acertar em cheio o público jovem chinês, menos engajado e interessado na revolução de 1949.

Mas nem todos toparam participar, necessariamente, para levantar a moral do governo. "Todo mundo tem que mostrar respeito se vovô San pede", disse Terence Chang, parceiro em produção de Woo, em referência a Han Sanping, presidente da produtora estatal China Film Group e codiretor (junto a Huang Jianxin) de Jian Guo Da Ye.

Woo, de fato, não pode bobear com o chefão da indústria cinematográfica do país. O cineasta prepara Flying Tiger Heroes, com orçamento estipulado de US$ 100 milhões (recordista para a indústria local). O foco será o primeiro esquadrão dos Estados Unidos a se voluntariar para a Força Aérea chinesa, dias após o ataque da marinha japonesa à base de Pearl Harbor, no Havaí, em 7 de dezembro de 1941.

A quantia destinada à produção de Sanping e Jianxin é bem mais modesta: US$ 10 milhões, de acordo com a China Film Group. O circuito chinês será abastecido com 2 mil cópias - quase 50% das 4,1 mil salas de cinema chinesas. Confira o trailer aqui.