Fiocruz alerta para terceira onda 'ainda mais grave' de Covid-19 no Brasil

Novos dados do Observatório Covid-19 apontam para “ligeira redução” na mortalidade pela doença no país, mas o patamar ainda é alto

Redação Publicado em 14/05/2021, às 17h31

None
Limpeza de ruas na Favela Vila Ipiranga, em Niterói (Luis Alvarenga/Getty Images)

O Brasil teve uma pequena redução na taxa de mortalidade pela Covid-19 nas últimas semanas, mas ainda há um grande número de casos registrados diariamente. Segundo a Fiocruz, os índices mostram ser preciso manter os cuidados de prevenção contra a doença, pois uma terceira onda poderia ser “ainda mais grave”. As informações são do O Globo.

Entre 2 e 8 de maio, a maior parte dos estados brasileiros tiveram uma redução da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os dados são do novo boletim do Observatório Covid-19 da Fiocruz, e apesar de serem positivos, não excluem que ainda há uma circulação intensa do vírus no país.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro sobre vacina contra Covid-19: ‘O tempo todo o pessoal enchendo’

"A pandemia pode permanecer em níveis críticos ao longo das próximas semanas, além de dar oportunidade para o surgimento de novas variantes do vírus devido à intensidade da transmissão," explica o boletim da Fiocruz.

O Brasil permanece em um alto patamar de mortes e casos de Covid, por isso, é preciso manter cuidados de prevenção contra a pandemia, dizem os pesquisadores da Fiocruz no boletim: "Uma terceira onda agora, com taxas ainda tão elevadas, pode representar uma crise sanitária ainda mais grave".

+++LEIA MAIS: Há um ano, Brasil batia 5 mil mortos e Bolsonaro dizia: 'E daí?' - agora são 400 mil


+++ SUPLA: 'NA ARTE A GENTE TEM QUE SER ESPONTÂNEO' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL