Pulse

Fióti, sem piedade, vai quebrar seu coração com a nova música; ouça Será Que Eu Me Permito?

Entre a carreira de empresário, no comando da Laboratório Fantasma, e artista, irmão de Emicida canta partidas e arrependimentos

Pedro Antunes Publicado em 03/05/2019, às 11h30

None
Evandro Fióti (Foto: Enio Cesar)

Evandro Fióti canta - e, dessa vez, solto para deixar os sentimentos mais profundos saírem - sobre a casa vazia. Fala de cheiro e sabores. Da cama incompleta. Do coração ferido. Do arrependimento. E, claro, do medo de repetir erros do passado.

Sim, Fióti está cantando sobre amor. Ao fazê-lo, ele deixa claro, bem explícito e sem piedade alguma: ele quer quebrar o seu coração. Mas, ei, calma, é um "quebrado do bem".

A melancolia de "Será Que Eu Me Permito?", nova música do artista e também empresário responsável por comandar a Laboratório Fantasma (empresa cujos braços vão desde gravadora a marca de roupas), é leve, contudo. Parte disso porque Fióti se mostra solto no gogó. Sua voz treme quando precisa, é delicada quando convém, atinge as notas agudas sem feri-las tal qual o coração exposto na canção.

Assista abaixo ao clipe de "Será Que Eu Me Permito?", lançado em primeira mão pela Rolling Stone Brasil:


Acompanhado por arranjos e produção assinados por Julio Fejuca, Fióti constrói uma história de amor em um momento de "ponto e vírgula" - uma pausa mais longo que uma vírgula e mais curto que um ponto - em estrofes.

Na primeira, Fióti descreve o vazio, arrependido:

"Na casa ainda sinto esse teu cheiro
Na cama ainda sinto o teu sabor
Por que não me entreguei de corpo inteiro
Às profundidades desse amor?"

Noutra, ele questiona o retorno, as mágoas e o medo:

"Que eu quero ter a chance de tentar
Mas e se nao der certo o que vai ser?
Será que eu me permito perdoar
Se de novo eu machucar você?"

"Estava passando por um período triste e de entendimento, precisava ser fiel aquele sentimento e o momento me pediu para repassar a mensagem", explica Fióti, sobre o período de composição.

"Expor as feridas ainda é um processo difícil para mim, porque isso é tido, por parte da sociedade, como algo que inferioriza o homem. É um trabalho de desconstrução de uma masculinidade tóxica, é uma bobagem não ser fiel aos seus sentimentos, porém foi assim que fomos criados e ensinados desde cedo", completa.

"Será Que Eu Me Permito?" vem acompanhada de clipe gravado em Marechal Hermes, no subúrbio do Rio de Janeiro. E se ouvir a canção (nas plataformas de streaming) não derreteu o coração gelado do seu lado da tela, o vídeo dirigido por Henrique Alqualo de certo o fará.

"Depois de escutar a música, pensei numa história que contasse um pouco sobre a impermanência da vida, sobre nem sempre tomarmos as melhores decisões e talvez não termos mais tempo para voltar atrás", conta Alqualo.

"Consegui trazer meu amigo Fernando Young para ser o diretor de fotografia e os atores Aisha Jambo e Dudu Oliveira se entregaram aos personagens, fazendo da história ainda mais crível. Fica difícil não fazer uma conexão com a vida real", completa.

Fióti elogia: “Sinto que as pessoas vão acabar se identificando com o que é mostrado no vídeo.”

O clipe propõe a saltos no tempo e espaço ao longo desse relacionamento em crise. Do início feliz, das caixas cheias de mudança à melancolia do arrumar as malas para partir. É fácil se relacionar com isso. 

Uma dica: assista ao vídeo até o final e, depois dele, ligue para o seu relacionamento momento de "ponto e vírgula", caso esteja em um, e tente consertar o que já está errado.

"Será Que Eu Me Permito?" é o primeiro lançamento de Fióti desde o remix de "Dá Pra Fazer", faixa recriada em parceria com Twelve'len, que obteve boa rotação nas rádios do País em 2018.

Em 2016, Fióti estreou como artista com o EP Gente Bonita.

+++ Cheia de amor, Cynthia Luz se posiciona como dona da voz (rouca) em ascensão do pop e R&B nacional